A maior parte da produção de soja de Mato Grosso será colhida entre 9 de fevereiro e o início de março, segundo previsões da Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat). O problema é que, neste período, estão previstas fortes chuvas e constantes, que podem comprometer os trabalhos.

“O processo de retirada da produção pode ser complicado pela questão climática, pois há previsões de elevados volumes de chuvas em fevereiro, especificamente para segunda quinzena”, explica Celso Oliveira, meteorologista do Somar Meteorologia, em comunicado divulgado pela Aprosoja. “Haverá uma concentração maior após o dia 15, com maior potencial para invernada, e o excesso de chuva será maior que o ano passado, suficiente para trazer problemas na colheita.”

Leia também:  Inscrições para expositores já estão abertas

O volume de chuva previsto deve superar a média dos últimos cinco anos, e se comparado à safra passada, pode chover até 100 milímetros mais nesta temporada.

Até o momento, foram colhidos 10,6% da área total estimada para o Estado. A região oeste é a mais adiantada, com 20,3% da área colhida e a norte é a mais atrasada com a 2,3%.

A semeadura da oleaginosa no Mato Grosso, com quase 45% da produção, ficou concentrada em apenas 15 dias de outubro de 2013, porque o solo estava seco e os produtores tiveram que esperar boas condições para começar os trabalhos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.