A negociação entre Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Correios, Telégrafos e Serviços Postais de Mato Grosso (Sintect-MT) e a Empresas de Correios, Telégrafos (ECT) deve ser intermediada junto ao Tribunal Superior do Trabalho (TST) que realizará audiência entre as partes.

De acordo com Everaldo Nunes de Souza, representante do Sintect/MT em Rondonópolis, até o momento a empresa se manteve irredutível e as negociações não avançaram.

O sindicalista afirmou que a ECT protocolou uma medida onde relata que a greve é abusiva, por essa razão a categoria foi chamada pelo TST para apresentar as justificativas a respeito do manifesto grevista. Everaldo acredita que na próxima semana aconteça a audiência para debater a situação da paralisação.

Leia também:  Período proibitivo para queimadas começa neste sábado em MT

Ainda nesta sexta-feira (07) o Sintect-MT realiza uma passeata pelas ruas do centro de Cuiabá contra a terceirização do plano de saúde e em protesto pelo descaso do governo federal com a situação da categoria.

REIVINDICAÇÕES

Os trabalhadores dos Correios estão em greve há nove dias e cobram da empresa a manutenção do Correios Saúde (atual plano de saúde dos trabalhadores); a ampliação do projeto piloto realizado em Rondonópolis para que a entrega de cartas seja pela manhã; o fim do calote do PCCS (Plano de Cargos, Carreira e Salários) de 1995; e mais segurança nas agências, uma vez que só em Mato Grosso, no ano passado, foram registrados 73 assaltos.

Leia também:  Ex-prefeito Percival Muniz e mais quatro são condenados por improbidade administrativa
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.