Nesta segunda-feira investigadores francesas vieram a público descartar qualquer possibilidade de crime no acidente de esqui sofrido por Michael Schumacher em dezembro passado, em Méribel, nos alpes franceses. Nesta terça-feira, novos detalhes do relatório foram revelados.

De acordo com os diários “Mirror” e “Bild”, o heptacampeão mundial de Fórmula 1 estaria apenas 4,5 metros fora à esquerda da pista “Chamois” e não dez metros, como havia sido especulado. Além disso, o relatório do Ministério Público da cidade garante que o ex-piloto, ao se chocar com a primeira rocha, teria sido catapultado ao ar por 10,4 metros abaixo, principalmente por conta da inclinação da pista e da neve profunda na área, até encontrar outra pedra, ter sua cabeça atingida e o capacete quebrado em vários pedaços.

Leia também:  Colorado vence fora de casa e ganha moral na Copinha

– O acidente ocorreu fora das pistas. Os sinais, marcação pós assentamento e as descrições sobre a borda da pista estão em conformidade com os padrões franceses atuais – explica o promotor Patrick Quincy, que arquivou o caso.

A câmera portátil que Michael levava no capacete, que contribuiu nas investigações, pode ter sido a grande responsável pelas sérias lesões provocadas na cabeça do ex-piloto. Schumacher, de 45 anos, segue em coma induzido. Os médicos começaram a acordar o astro do automobilismo, mas maiores detalhes não foram informados para manter a privacidade do paciente. Especialistas dizem que ainda vai demorar alguns meses para que se possa determinar se o alemão vai ter algum dando cerebral permanente, caso se recupere.

Leia também:  Brasil dá show em Cuiabá e avança no Grand Prix

Até o arquivamento do caso nesta segunda-feira, os investigadores haviam se pronunciado oficialmente apenas uma vez, no dia 8 de janeiro. Na ocasião, a partir dos primeiros dados coletados, eles chegaram à conclusão que Michael Schumacher saiu da pista demarcada por escolha própria e estava em velocidade “condizente para um experiente esquiador em um terreno difícil” quando perdeu o equilíbrio ao tocar uma rocha encoberta pela neve, a oito metros de distância da demarcação, e bateu com a cabeça em outra rocha. Além disso, no vídeo da câmera acoplada ao seu capacete, Schumi não apareceu ajudando nenhuma pessoa, contrariando a versão inicial da assessora do ex-piloto, Sabine Kehm.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.