Candidato a deputado estadual pelo PMDB, Eder Moraes, está fazendo do limão, limonada com a Operação Ararath, desencadeada pela Polícia Federal. A casa dele no luxuoso condomínio Florais dos Lagos foi alvo de busca e apreensão.

Ao invés de se recolher no silêncio, tem feito um verdadeiro carnaval, dando entrevistas polêmicas e fazendo uma chantagem velada ao senador Blairo Maggi (PR) e ao governador Silval Barbosa de que esperava pelo menos um telefonema amigo.

Só que nesta quarta-feira, ele resolveu ir além. Deu entrevista ao programa Chamada Geral, na Mega FM, dizendo que teme ser assassinado por ser um arquivo vivo. Nos últimos 12 anos ele ocupou cargos estratégicos nos dois governos e disse que muita coisa passou pela mão dele, inclusive o caixa 2, e disse ainda que por ser cuiabano é alvo de preconceito.

Leia também:  Argemiro mostra trabalho e pede também nomeações

“Nós cuiabanos acordamos cedo para ralar a bunda no caco de vidro enquanto os forasteiros que vem do Sul detonam os cofres públicos e tudo fica por isso mesmo”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.