O Papa Francisco desejou nesta quinta-feira (13) que “cresça um desejo de compreensão” do cristianismo entre os jovens rabinos, ao mesmo tempo em que incentivou o aprofundamento do judaísmo nos seminários católicos.

Ao receber uma delegação do Comitê Judaico Americano (AJC), liderado pelo rabino David Rosen, o Papa argentino falou sobre a “transmissão às novas gerações da herança do nosso conhecimento, respeito e amizade mútuas”.

Jorge Mario Bergoglio, que mantinha quando era cardeal de Buenos Aires relações muito cordiais com os rabinos da Argentina, expressou “a esperança de que o estudo das relações com o judaísmo possa continuar a florescer nos seminários e nos centros de formação para os leigos católicos”.

Leia também:  Controladora de voo lança livro relatando tragédia da Chapecoense que matou 71 pessoas

Ele manifestou a “esperança de que, da mesma forma, o desejo de uma compreensão do cristianismo possa crescer entre os jovens rabinos e a comunidade judaica”.

O Papa recordou a herança comum de judeus e cristãos na busca de um “mundo mais justo e fraterno”. “A proteção dos pobres, das viúvas, órfãos e estrangeiros está escrito nas Sagradas Escrituras” das duas religiões, observou, enquanto os estrangeiros não são sempre bem-vindos, seja na Europa ou em Israel.

Durante séculos, a desconfiança e o preconceito muitas vezes prevaleceu entre as duas comunidades. Isto fez crescer na comunidade cristão um anti-judaísmo, por vezes virulento e violento, marcado por pogroms.

A desconfiança, desprezo e preconceitos persistem tanto entre alguns fundamentalistas católicos como entre alguns rabinos, especialmente após o trauma do Holocausto.

Leia também:  Advogada é a primeira transexual assumir o cargo de senadora no Uruguai
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.