Foto: assessoria
Foto: assessoria

 

“Tatuagem” (PE), de Hilton Lacerda, é o grande vencedor do 19ª Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá, premiado nas categorias de Melhor Filme, Direção, Direção de Arte, Produção e Melhor Ator. A cerimônia foi nesta quarta-feira (26), no Anfiteatro da CDL, local de exibições dos 29 filmes concorrentes desta edição, entre as mostras competitivas de Longa e Curta-Metragem, além da competitiva de Curta Mato-Grossense e Ponto de Cultura.

Ao receber o prêmio, o diretor pernambucano Hilton Lacerda comemorou a escolha da plateia cuiabana, pontuando a ousadia da ficção que narra a resistência política por meio da arte de um grupo de artistas e intelectuais em um cabaré, ambientado no Nordeste, em 1978, período da Ditadura Militar. “Me interessa que um monte de gente veja o meu filme, mas fico ainda mais feliz que eu não precise abrir mão de dizer o que eu desejava”, pontuou.

Enquanto isso, na mostra de curtas nacionais, quem abocanhou o troféu Coxiponé foi uma produção mato-grossense. Trata-se de “3,60”, de Severino Neto. “UHE Sinop X Assentamento 12 de Outubro”, de Thiago Foresti foi eleito o Melhor Curta de Mato Grosso. Já o filme “Poesia, Café e Sonho, com Juliano Moreno”, de Paulo Wagner faturou o prêmio de Melhor Curta Ponto de Cultura.

Leia também:  Bingo é o indicado brasileiro ao Oscar 2018

O idealizador do Cinemato, o cineasta e pesquisador do cinema, Luiz Borges, enfatizou ao público os grandes esforços para que o festival pudesse ser realizado, depois de um hiato de dois anos. “Graças a uma sonhadora, a secretária Janete Riva, pudemos promover sua retomada. A gente não desistiu de Mato Grosso”, brincou com a plateia. Borges agradeceu ainda a todas as empresas e institutos culturais parceiros do festival.  “O Festival foi idealizado não só para promover o cinema, mas para promover a cultura em todas as suas linguagens, provas disso são os filmes exibidos que retrataram tantos traços e personagens do território mato-grossense e também, questões políticas e ambientais”. Cinema com tom de denúncia.

O 19º Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá é uma realização da Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso (SEC-MT), em parceria com os Institutos Cultural América (Inca) e Dancem.

Leia também:  O Rico e Lázaro | Amitis critica o comportamento do rei

Confira a lista de premiados

Longa Brasileiro

Melhor filme – Tatuagem

Melhor Direção – Hilton Lacerda, por Tatuagem

Melhor Edição – Alexandre Gwaz e Joaquim Castro, por Olho Nu

Melhor Som – Ives Rosenfeld e Pedro Saldanha, por Olho Nu

Melhor Direção de Arte –  Ivo Lopes Araújo, por Tatuagem

Melhor Roteiro –  Alê Abreu, por O Menino e o Mundo

Melhor Ator –  Irandhir Santos, por Tatuagem

Melhor Atriz – Rita Batata, por De Menor

Melhor Produção – João Vieira Jr, por Tatuagem

Curta Brasil

Melhor Filme de Curta- 3,60, de Severino Neto

Melhor Direção – Amauri Tangará, por Paraizoo

Melhor Roteiro – Adrianna Oliveira e André Filho, por Espátula e Bisturi

Leia também:  Resumo de novelas desta quarta- feira (06)

Melhor Edição- Amir Admoni, por Linear

Melhor Interpretação – Léa Garcia, por Acalanto

Melhor Fotografia – Ale Samori, por Acalanto

Melhor Som –  Jessy

Melhor Documentário –  Anos de Luz

Melhor Ficção – Acalanto

Melhor Produção –  Bruno Gehring, por O Castelo

Curta Mato Grosso

Melhor Curta do Mato – UHE Sinop x Assentamento 12 de Outubro

Melhor Direção – Thiago Foresti, por UHE Sinop x Assentamento 12 de Outubro

Melhor Roteiro – Coletivo, por A Volta dos Que Já Foram

Melhor Edição – Carlos Kavano Junior e Jonathan Cesar, por Poesia, Café e Sonho com Juliano Moreno

Melhor Interpretação – Júlia Reichert, por A Volta dos Que já Foram

Melhor Fotografia – Thiago Foresti, por VI Encontro Indígena – Museu de Pré-História Casa Dom Aquino

Melhor Som –  Carlos Kavano Junior e Jonathan César, por Poesia, Café e Sonho com Juliano Moreno

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.