A bancada mato-grossense no Congresso Nacional encaminhará ao governo federal, podendo chegar às mãos da presidente Dilma Rousseff (PT), documento que visa impedir os reflexos negativos para o Estado sobre o corte nas emendas junto ao Orçamento Geral da União (OGU) para 2014. Levantamento exposto durante reunião da bancada federal, em Brasília, aponta perda imediata de R$ 41,8 milhões sobre o montante de R$ 160,6 milhões previstos em emendas impositivas.

Deputado federal Valtenir Pereira (Pros), classificou o quadro como ‘desestimulante’, diante do pouca chance de o Estado vir a driblar os ajustes de caixa do governo federal. ‘Essa situação já era esperada depois que o governo anunciou os cortes no orçamento neste ano. Só que para um estado como Mato Grosso, que já recebe pouco diante de outras unidades federativas, a reserva sobre as emendas irá provocar sérios problemas sobre projetos previstos para o estado e municípios, principalmente os do interior’, avaliou.

Leia também:  Silvio Negri quer que rede de esgoto atenda também Cidade Universitária

Nos próximos dias, será acentuada a interlocução da bancada junto aos ministérios para garantia de liberação de recursos ‘presos’ em projetos e convênios, não sendo necessariamente vinculados as emendas. ‘Temos uma outra alternativa para apoiar o estado que é a busca reforçadas de apoio do governo federal para que recursos delineados em ministérios sejam repassados de foram mais célere para Mato Grosso.

Em relação às emendas, será preciso ainda respaldo direto do governador Silval Barbosa para minimizar as consequências’, assinalou Valtenir. O total de emendas impositivas, as individu- ais, somado as propostas de bancada para o Mato Grosso em 2014 chega a R$ 432 milhões.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.