Virgílio passa a espora no mesmo lugar em que foi ferido por Laerte (Foto: Pedro Curi/ TV Globo)
Virgílio passa a espora no mesmo lugar em que foi
ferido por Laerte (Foto: Pedro Curi/ TV Globo)

 

Nem sempre o tempo é suficiente para fechar as feridas do passado. E parece que, para Virgílio (Humberto Martins) e Laerte (Gabriel Braga Nunes), os 20 anos que se passaram acumularam ainda mais a raiva que um sente pelo outro depois da tragédia que quase terminou em morte no passado.

O primeiro reencontro cara a cara dos ex-amigos acontece no mesmo lugar da briga que marcou suas vidas e, assim como da primeira vez, o motivo da discussão é Helena (Julia Lemmertz). Tudo começa quando Virgílio diz que o rival deve chamá-la pelo nome. “Leninha é pra mim. Pra você é Helena. Lembra quando você me dizia isso?”, provoca.
A discussão, então, toma forma e acaba entrando na cena trágica da briga do passado, onde Laerte se defende dizendo que já pagou pelo que fez. “Não te devo nada! Nem atenção! Nem me sinto obrigado a ficar aqui ouvindo você falar!”, dispara. Mas Virgílio não deixa barato e ataca. “Canalha! Isso é o que você era e continua sendo!”, afirma. Depois dessa, o flautista continua recebendo acusações e, enfim, provoca: “Mas não pra sua mulher, não pra sua filha!”.

Leia também:  Com mais de 30 anos em luto mãe de Cazuza afirma receber "sinais do filho"

Indignado e cheio de ódio no coração, Virgílio pega Laerte pela camisa e encosta a cabeça do rival no mesmo tronco em que ele bateu há 20 anos. O flautista, então, procura alguma coisa com a mão. “É isto que está procurado? Quer sentir a mesma dor que eu senti? Ficar com o mesmo sinal?”, ameaça o marido de Helena, passando a espora no rosto de Laerte. Depois dessa, o músico se desvencilha e eles parte para a briga na mão.

Não perca estas cenas, que estão previstas para irem ao ar na quinta-feira, dia 20 de março.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.