Em janeiro de 2014, as exportações da Região Norte foram as que mais cresceram no comparativo com o mesmo mês de 2013, com expansão de 5,59%. A região exportou US$ 1,533 bilhão, o que representou 9,57% das vendas totais do país no período (US$ 16,026 bilhões). Em valores absolutos, a Região Sudeste foi a que mais exportou no mês (US$ 9,022 bilhões), com aumento de 4,89% na comparação com as vendas de janeiro de 2013 e com participação de 56,3% sobre os embarques nacionais.

A Região Sul vendeu US$ 2,540 bilhões em janeiro, com retração de 0,96% sobre o mesmo mês do ano passado e com participação de 15,85% nas exportações brasileiras. Na Região Centro-Oeste, houve decréscimo de 18,16% no comparativo das vendas ao mercado externo, que somaram US$ 1,490 bilhão e tiveram participação de 9,3% no acumulado mensal. Os embarques da Região Nordeste (US$ 1,134 bilhão) corresponderam a 7,08% do total exportado pelo país e tiveram retração de 12,12% na comparação com janeiro passado.

Leia também:  Com queda de 27% no estoque, café deve ficar mais caro

Quanto às importações, a Região Norte foi a que registrou a maior expansão em comparação com janeiro de 2013 (18,18%), com compras no valor de US$ 1,473 bilhão. Em seguida, aparece a Região Sudeste, com aumento de 5,23% e aquisições no valor de US$ 11,584 bilhões. No Sul (US$ 3,383 bilhões), houve queda de 0,48% nas importações mensais. A Região Centro-Oeste teve retração de 8,07% e registrou compras de US$ 1,082 bilhão. A Região Nordeste adquiriu US$ 2,549 bilhões no mercado externo, com queda de 19,33% em relação a janeiro de 2013.

No mês, a Região Centro-Oeste teve o maior superávit, com US$ 408 milhões, seguida pela Região Norte (US$ 60 milhões). Já as regiões Sudeste (US$ 2,561 bilhões), Nordeste (US$ 1,415 bilhão) e Sul (US$ 842 milhões) contabilizaram déficits nas transações comerciais mensais.

Leia também:  Comércio lucra com mudança de clima em Rondonópolis | TV Agora

Estados

Em janeiro de 2014, o maior exportador entre os estados brasileiros foi São Paulo (US$ 3,866 bilhões), acompanhado por Minas Gerais (US$ 2,602 bilhões) e Rio de Janeiro (US$ 1,572 bilhão). Em seguida, aparecem Pará (US$ 1,315 bilhão) e Rio Grande do Sul (US$ 1,077 bilhão).

O estado brasileiro que registrou o maior superávit na balança comercial, em janeiro, foi Minas Gerais, com saldo de US$ 1,627 bilhão. Na sequência, aparecem os estados de Pará (US$ 1,258 bilhão), Mato Grosso (US$ 687 milhões), Rio Grande do Sul (US$ 345 milhões) e Espírito Santo (US$ 243 milhões). Os estados mais deficitários, no mês, foram: São Paulo (US$ 3,861 bilhões), Amazonas (US$ 1,256 bilhão), Santa Catarina (US$ 875 milhões), Pernambuco (US$ 677 milhões) e Rio de Janeiro (US$ 570 milhões).

Leia também:  Saque do FGTS de contas inativas movimentam R$ 44 bilhões na economia

Nas importações, São Paulo (US$ 7,728 bilhões) foi o estado que mais fez compras no exterior em janeiro, seguido de Rio de Janeiro (US$ 2,143 bilhões), Santa Catarina (US$ 1,434 bilhão), Amazonas (US$ 1,329 bilhão) e Paraná (US$ 1,217 bilhão).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.