O ano de 2013 foi especial para Maria Clara e Carol. Vice-campeãs do Circuito Mundial, elas conquistaram pela primeira vez uma etapa do torneio, o Grand Slam de Moscou, na Rússia, além das medalhas de prata nas etapas da Holanda e dos Estados Unidos e bronze na China, na Argentina e na Tailândia. Juntas desde 2003, elas estarão em lados opostos no Rainha da Praia, neste final de semana, nas areias de Ipanema, com transmissão do SporTV. As irmãs, afastadas do torneio há dois anos, nunca se enfrentaram ao longo de toda a carreira.

– A gente nunca se enfrentou na vida. Estamos em chaves diferentes. Só vamos jogar uma contra a outra se as duas passarem para a final. Adoraria jogar contra a Maria, a gente ia se divertir, mas não tem nada de “jogo amigo”. Somos competitivas, mas seria engraçado. Estou muito animada para o Rainha, eu adoro. É uma competição divertida, leve, não tem peso. É claro que todo mundo que está lá vai querer ganhar, mas é sempre divertido – contou Carol.

Leia também:  Projeto Mais Esporte, Mais Cidadania é lançado oficialmente em Rondonópolis

A praia de Ipanema é o quintal de casa da família Salgado, que tem o seu centro de treinamento montado no cartão-postal carioca.

– O Rainha da Praia é um torneio que eu sempre gostei de jogar. E terei o maior prazer de jogar em Ipanema, no Rio, que é a minha casa. É uma disputa diferente, já que não jogamos com as nossas parceiras, mas com as rivais. Vai ser um torneio legal e o nível esta alto porque todo mundo está mais treinado. É uma coisa mais descontraída, mas todas são competitivas e querem ganhar, apesar de ter pressão. Eu espero conseguir o título, que eu ainda não tenho. Estou muito feliz de estar melhorando, meu ombro está quase 100% recuperado – afirmou Maria.

Em boa fase no exterior, a dupla viveu altos e baixos no Circuito Brasileiro 2013/2014, encerrado em Maceió (AL). Em nove etapas, elas chegaram à final duas vezes, sendo campeãs no Rio e vice em João Pessoa (PB). No início do ano, as irmãs abdicaram de disputar a etapa de São Luís (MA) por conta de uma bursite aguda no ombro direito de Maria Clara. Mas ainda encontraram outras dificuldades pelo caminho que as deixaram fora da briga pelo título da temporada. Apesar dos contratempos, as cariocas terminaram em quarto lugar no ranking nacional.

Leia também:  Cuiabá Arsenal encara último rival da 1ª fase do brasileiro

– O ano passado foi muito feliz, foi o nosso melhor ano no Circuito Mundial, sem dúvidas. A próxima temporada será ainda mais difícil, porque precisamos evoluir e manter uma regularidade. Estamos treinando forte para a etapa de abertura do Circuito Mundial e para o Superpraia. Queremos começar bem o Circuito Brasileiro, mas ainda falta, é só em setembro.

Vamos nos fortalecer, aparando as arestas. Ficamos meio soltas, não estávamos organizadas como sempre trabalhamos. Ainda estava com o ombro ruim, longe de 100%, jogando sem treinar. Me preocupei em ficar boa. Não conseguimos render no Brasileiro de uma maneira regular. Vamos buscar a regularidade na próxima temporada no Brasil e no Circuito Mundial – disse Maria Clara.

Leia também:  União e Cuiabá ficam no empate Luthero

– Eu e a Maria já começamos a temporada do Brasileiro meio desestruturadas, sem um técnico fixo. Minha mãe (a ex-jogadora Isabel) até nos deu uma força, mas já não queria mais, tinha que tocar as coisas dela. Trabalhar com uma pessoa ao seu lado, com uma comissão a sua volta, faz toda a diferença, a confiança é outra. Ainda bem que fechamos com o Renato França – disse Carol, que gosta de praticar surfe nas horas vagas.

Após o Rainha da Praia e o Superpraia, de 9 a 13 de abril, em Salvador (BA), as irmãs entram na reta final da preparação do Circuito Mundial. A abertura da edição de 2014 será na China, no Open de Fuzhou, de 22 a 27 de abril. Na semana seguinte, Maria Clara e Carol disputam o Grand Slam de Xangai, entre os dias 29 de abril e 4 de maio.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.