Na noite desta quarta-feira, Juiz de Fora e Campinas se enfrentam a partir das 19h com aspectos emocionais diferentes. Para o time mineiro, só a vitória por 3 sets a 0 ou 3 a 1 interessa. A equipe tem 22 pontos, na 9ª posição na classificação. Mesmo assim, os juiz-foranos têm que torcer contra o Maringá, que encara o Volta Redonda. O time mineiro precisa de uma derrota dos paranaenses por 3 a 0 ou 3 a 1. O Campinas está tranquilo, garantido nos playoffs da Superliga Masculina de vôlei. O time ocupa a 3ª colocação na tabela, com 42 pontos.

O Juiz de Fora vem embalado para a última rodada da competição. Nas últimas seis rodadas, o time do técnico Chiquita venceu cinco partidas e entrou no páreo pela última vaga na fase final da Superliga. Porém, a boa fase não garantiu a possibilidade da equipe depender só de si. O Maringá tem dois pontos a mais na tabela de classificação e não pode pontuar diante do Volta Redonda. No entanto, a ordem na equipe mineira é focar apenas no Campinas, adversário desta noite.

Leia também:  Inscrições abertas para estadual de tênis em Cuiabá

– Temos que entrar muito focados para cumprirmos nosso objetivo. Precisamos vencer o Campinas. Se isso não acontecer, nossa arrancada não terá adiantado. O Campinas não está na ponta da tabela à toa. Eles têm qualidade e muitos méritos por isso. Mas precisamos vencer – afirmou o oposto Jardel, que segue com dores no ombro direito, mas deve ir para o jogo junto com Rivoli, Victor Hugo, Lucão, Japa, Daivisson e o líbero Thales.

O Campinas entra na última rodada da Superliga Masculina apenas para cumprir tabela. O time paulista é o terceiro colocado na competição e não perde esta condição mesmo com uma derrota para Juiz de Fora. Desta forma, o técnico Alexandre Rivetti deve mesclar o elenco, dando oportunidade a atletas que vinham atuando pouco durante a competição. Mesmo assim, o fato de Juiz de Fora precisar da vitória motiva o treinador a conquistar mais três pontos na tabela.

Leia também:  Rodada "madrasta" coloca Luve de volta ao Z-4

– Essa situação de jogar com o ginásio lotado, com o adversário precisando muito da vitória, deixa a partida com cara de playoff. Por isso, vamos aproveitar o momento para os jogadores sentirem o que teremos pela frente na Superliga. É o momento de seguirmos crescendo para entrarmos fortes no mata-mata – afirmou o treinador, que deve manter o time que venceu o Taubaté na última rodada com Rivaldo, Paulo Renan, João Paulo Tavares, Diogo, Vini, Gustavão. Alan deve ser o líbero.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.