Mesmo trabalhando muito, indo à academia, cuidando dos problemas familiares e curtindo os finais de semana, as festas e os encontros com os amigos, você precisa arranjar um tempo para fazer algo básico: dormir.

De acordo com Gema Mesquita, pesquisadora do sono, é durante o sono profundo que as células renovam as energias e é quando o hormônio do crescimento é liberado.

— O que muita gente não sabe é que um adulto normal tem em média cinco ou seis ciclos de sono por noite. E o sono profundo dura apenas de dez a quinze minutos em cada ciclo. Por isso é importante que a noite de sono seja tranquila e não sofra interrupções, para que a pessoa consiga descansar completamente.

Leia também:  Primeiro autoteste rápido para HIV do Brasil chega às farmácias

Se as células não se recomporem, a pele apresentará um aspecto cansado, meio avermelhado e ficará opaca e mais sujeita a manchas, olheiras e perderá o brilho e a hidratação natural dela. Em se tratando do hormônio do crescimento, a situação só piora. Ele fortalece os ossos e as articulações, deixa você mais disposta e, digamos, com menos dores na hora de se exercitar ou de simplesmente dançar em uma festa.

Além disso, esse hormônio – que, não se engane, é liberado em qualquer idade, menos nos idosos – também é responsável por promover a quebra das gorduras localizadas e diminuir o armazenamento das que estão circulando no sangue.

— É por isso também que o sono é fundamental para quem pretende emagrecer ou se manter no peso. Algumas pesquisas também já comprovaram que quem dorme pouco não consegue metabolizar o hormônio chamado leptina, que é responsável por controlar a fome.

Leia também:  A receita da longevidade, segundo um Prêmio Nobel de medicina

Isso explica a sua fome exagerada, principalmente por alimentos ultracalóricos, naqueles dias em que você dormiu super mal. E também significa que dormir melhor é mais eficaz para emagrecer do que as dietas malucas que as pessoas costumam fazer e do que os remédios que prometem milagres.

Segundo Gema, existem estudos que concluíram que o sobrepeso nos jovens pode estar relacionado à restrição do sono.

— Esses estudos também mostraram que as pessoas de países em que a tecnologia não está tão avançada e que não têm tanto acesso à televisão, computador, video game e nem têm hábitos noturnos tão agitados, não ganham tanto peso por conseguirem ter mais tempo para dormir e um sono de qualidade.

Leia também:  Está trabalhando demais? Cuidado, seu coração pode pifar

E por falar em qualidade, nesse caso ela também é mais importante do que a quantidade.

— Mas em todo o caso, recomenda-se que um adulto durma oito horas por noite. Existem pessoas que precisam de mais ou menos tempo, mas isso é restrito a uma parcela bem pequena da população.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.