Mst bloqueia a br 364 abaixo do viadulto de rondonopolis
Assentados durante bloqueio na rodovia – Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

Membros de vários Movimentos de Sem Terra resolveram invadir, na manhã desta terça-feira (22), a BR-364 em Rondonópolis e trancar para poder chamar a atenção do Governo em relação as suas reivindicações. Em menos de 1h de bloqueio, a fila de caminhões já passava de 20 quilômetros e os motoristas que precisam passar pelo local aguardam revoltados com a situação.

Essa não é 1ª vez que os assentados da região bloqueiam a rodovia, isso já se tornou uma prática em Rondonópolis, mas acaba trazendo prejuízos e insatisfação as pessoas que usam do trecho para trabalhar.

Motorista há 30 anos, Joaquim de Souza, afirmou que sempre que passa pela rodovia acaba se deparando com esse tipo de constrangimento. “Nós, os caminhoneiros, que não temos nada a ver com isso é quem temos que ser punidos aguardando em filas. Às vezes chegamos a ficar dias parados, tiram o nosso direito de ir e vir, a rodovia é de todos não se pode tranca-la”, desabafa Joaquim.

Leia também:  Rondonópolis é notificada para revogar lei que autoriza loteamento em zona rural

De acordo com uma das representantes do Movimento, Rosalia de Jesus Lima, esse bloqueio é realizado por vários grupos e que não tem previsão de término. Como em todas às vezes as reivindicações não mudam e os assentados continuam a acusar o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) de não cumprir o que se promete.

Entre as reivindicações, estão o pedido de assentamento imediato de 4.320 famílias, 20 áreas deverão ser enviadas para decreto, retomada de áreas, infraestrutura para os assentamentos e crédito para que eles possam fazer a terra produzir. Os assentados aguardam um acordo para poder desocupar a rodovia.

Congestionamento na BR-364, em apenas 30 minutos de bloqueio - Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT
Congestionamento na BR-364, em apenas 30 minutos de bloqueio – Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.