A Administração Oceânica e Atmosférica (Noaa) dos Estados Unidos cancelou nesta quarta-feira (2) o alerta de tsunami emitido para o Chile e outros países da costa do Pacífico, apesar de manter um aviso para o Havai. O alerta foi emitido depois de um terremoto de magnitude 8,2 na escala Richter ter sacudido, na noite dessa terça-feira, o Norte do país, deixando cinco mortos, vários feridos graves e destruição em alguns locais.

“Com base nos dados disponíveis, não se espera [a ocorrência de] um grande tsunami no estado do Havai. Contudo, o nível do mar muda e poderão ocorrer fortes correntes ao largo da costa,”, indicou a Noaa em seu portal na internet.

Leia também:  Acusado de atentado que matou 22 pessoas em show na Inglaterra é preso

Na sequência do forte abalo sísmico, foi emitido alerta de tsunami para o Chile, Peru e Equador, bem como um aviso para a Colômbia, o Panamá, a Costa Rica, Nicarágua e El Salvador.

O Instituto Geológico dos Estados Unidos, que monitora a atividade sísmica mundial, mudou de 8 para 8,2, durante a madrugada, a magnitude do tremor. De acordo com o Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico, foram registradas ondas de até 2,11 metros na costa do Chile, que sofreu pelo menos 20 tremores.

O terremoto foi registrado a cerca de 86 quilômetros a noroeste da cidade de Iquique, cujas ruas vão ser patrulhadas pelo Exército. A Força recebeu ordens para vigiar a área, a fim de garantir a ordem pública e prevenir roubos na cidade, onde mais de 300 detentos fugiram da prisão.

Leia também:  Leões fogem de parque e deixam africanos preocupados

A presidenta do Chile, Michelle Bachelet, decretou estado de catástrofe natural no Norte do país, afetado pelo terremoto. “Decretei estado de catástrofe natural em Arica, Parinacota e Tarapacá”, declarou a chefe de Estado, minutos antes de assinar o decreto presidencial.

Milhares de pessoas foram retiradas, após uma ordem de evacuação dirigida à orla costeira, decretada pouco depois do abalo que destruiu casas, provocou bloqueios em estradas, incêndios, apagões elétricos, bem como deslizamentos de terra.

O Chile é um dos países com maior atividade sísmica do mundo. Em fevereiro de 2010, o Centro e o Sul foram atingidos por um forte abalo de 8,8 graus, seguido de um tsunami que devastou dezenas de cidades,  deixou mais de 500 mortos e prejuízos de US$ 30 bilhões.

Leia também:  Centenas de turistas são resgatados por elefantes em grande inundação que atingiu Nepal
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.