Membros do Conselho Municipal de Política Cultural comemoraram com um café da manhã, nesta segunda-feira (07), a aquisição de uma sala no Casario para desenvolver os trabalhos.

O presidente do Conselho, Max Ferraz, argumentou que o espaço é um local voltado não apenas para que os artistas possam deixar suas marcas, mas sim para toda a população que pode apresentar propostas e projetos, além de ajudar no fomento de atividades culturais. “É uma conquista muito grande, agora temos uma sede para desenvolvermos nossos trabalhos”, disse Max.

Durante a reunião também foi abordado as metas para este ano, além de uma palestra com o diretor do Procon e ex-vereador, Juca Lemos, que falou sobre a Lei de Incentivo a Cultura, de autoria do ex-parlamentar, sancionada em 1997, que foi um marco para a categoria.

Leia também:  MP investiga causas de incêndio que destruiu 60% da aldeia Tadarimana

Lemos explicou que durante alguns anos a população poderia destinar uma parte de alguns impostos, como por exemplo, do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) para ser aplicado em projetos culturais.

A Lei de Incentivo a Cultura, que foi extinta, será analisada pelo conselho que pretende fazer adequações e propor a retomada da proposta.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.