Doença que surge devagar, silenciosa e com poucos sintomas, o diabetes pode ocorrer pela falta de produção ou dificuldade na ação da insulina, hormônio que controla os níveis de glicose na corrente sanguínea, por motivos genéticos ou por hábitos e estilo de vida desregrados, como obesidade e sedentarismo.

Muito relacionado à obesidade e à gordura que se acumula no abdômen, as armas para o combate e controle do diabetes são a manutenção de peso saudável (ou emagrecimento) e a prática de atividade física constante, essenciais para reduzir os riscos causados pelo diabetes.

Atenção na Alimentação

Alguns portadores de diabetes acreditam que o maior vilão da sua alimentação são os carboidratos, principalmente os de alto índice e carga glicêmico, como, por exemplo, os açúcares, doces, pães, massas, arroz branco, batata, bolos, biscoitos, bolachas, entre outros.

Esses alimentos não tem passe livre na alimentação diária e devem ser consumidos com moderação, sendo diabético ou não, pois o excesso de glicose circulando em nosso sangue, vindo desses carboidratos, levam a uma oxidação excessiva de vários órgãos, principalmente vasos sanguíneos, o que leva a complicações como arteriosclerose, lesões renais, oculares e insuficiências circulatórios, mas não são apenas esses alimentos os responsáveis pela piora e descontrole dos níveis de glicose.

Leia também:  Capital Inicial lança single do primeiro álbum de inéditas do grupo em seis anos

Os problemas das gorduras em excesso

Na preocupação de evitar erros na escolha de carboidratos, pacientes portadores de diabetes não se preocupam com a escolha das gorduras que ingerem no dia a dia. Com isso ficam vulneráveis a um grande fator de risco, facilitador das complicações comuns aos pacientes diabéticos, como citadas acima.
Estudos atuais revelam que a maior causa de óbito em pacientes diabéticos são as complicações cardiovasculares, principalmente infarto agudo do miocárdio, que podem ter correlação direta com o excesso e tipo de gordura que predomina em sua alimentação. A gordura saturada, presente nas carnes, leite e derivados, óleo de coco e óleo de dendê, ou a gordura trans, presente em biscoitos recheados, sorvetes, margarinas, chantilly, etc, são os tipos que prejudicam a saúde quando consumidas em excesso.

Leia também:  O que é vitiligo e quais seus sintomas e tratamentos

Esse desbalanço na escolha das gorduras é um fator de risco para a população em geral. Porém, o diabético corre risco maior por possuir fatores facilitadores como uma contínua oxidação excessiva quando mal controlados, o que permite sempre níveis altos de glicose no sangue. O acúmulo da gordura visceral é outro grande fator de risco porque obriga o pâncreas a produzir cada vez mais insulina para facilitar a entrada de glicose nas células, esse excesso estimula uma série de alterações no metabolismo, elevando o risco de aumento da pressão arterial e das taxas de colesterol no sangue.

Quanta gordura posso consumir por dia

Em uma dieta balanceada, no máximo 10% das calorias a serem consumidas podem vir de gorduras saturadas, em pacientes colesterol alto e diabéticos descompensados o número cai para 7%, pois ao ultrapassarmos este limite ficamos vulneráveis ao aumento do colesterol no sangue, que leva a obstrução dos vasos sanguíneos, ocasionando infarto agudo do miocárdio e isso só ocorre quando o colesterol se oxida, problema frequente no paciente diabético.

Leia também:  Entenda porque comer macarrão instantâneo faz mal

Formas de prevenção

Ter uma alimentação equilibrada, comer devagar e evitar longos períodos em jejum. Evitar consumir alimentos ricos em gorduras saturadas. Fazer atividade física de maneira constante e de preferência com acompanhamento profissional. Dormir bem, uma boa noite mal dormida altera o relógio biológico e retarda o ritmo metabólico.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.