Cuidar da saúde e da beleza muitas vezes não é uma tarefa fácil com a correria e o estresse do dia a dia. Muita gente acredita, inclusive, que esse estresse pode afetar a pele e deixá-la mais oleosa ou ainda com mais cravos e espinhas.
A dermatologista Márcia Purceli explicou que isso pode realmente acontecer já que há um aumento do hormônio do estresse, o cortisol, e dos radicais livres, que prejudicam a pele e o couro cabeludo.
Além de causar problemas na pele, o estresse pode ainda piorar ou desencadear eventuais problemas que a pessoa já tenha, como a caspa, por exemplo.
Outra dificuldade do dia a dia é em relação aos produtos no mercado – são tantas opções que nem sempre é fácil escolher a adequada para cada caso.
Segundo a cosmetóloga Sônia Corazza, usar o produto não indicado para o tipo de pele pode também ser prejudicial e até causar um processo irritativo.
Por isso, é fundamental identificar o tipo de pele, que pode ser normal, seca, oleosa ou mista. Para saber, a dica é lavar o rosto e, duas horas depois, pegar um lenço de papel, pressionar na pele com delicadeza e depois checar os pontos de oleosidade que ficaram registrados no papel.
De maneira geral, todas devem ser bem hidratadas, mas o tipo de hidratante muda – no caso da pele normal, por exemplo, o ideal é usar um produto em emulsão ou leite, que tenha base fluida; já a pele seca precisa de um produto à base de creme ou manteiga; por fim, a pele oleosa exige um hidratante em gel ou sem óleo.
A cosmetóloga Sônia Corazza falou também sobre as diferenças entre os tipos de sabonete, que podem ser comuns, líquidos, glicerinados ou com hidratante.
Todos têm PH diferentes e no caso do sabonete em barra ou líquido, esse último é muito menos agressivo para a pele.

Leia também:  Lugol: o uso indiscriminado pode destruir a tireoide
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.