Filiado ao PMDB, o ex-juiz federal Julier Sebastião da Silva destacou que Mato Grosso pode perder muito se o próximo governador do Estado for opositor ao governo federal.

“Temos 56 obras da Copa do Mundo, trem, estradas no interior, ferrovia chegando no interior. Nós temos 8 deputados federais e São Paulo tem 75. Lá eles podem ter um governo de oposição, nós não!”, avaliou.

Com discurso de um político experiente, ele disse que está preparado para ser filiado do PMDB e não apenas como pré-candidato da sigla. Ele não quis polemizar em relação a um possível enfrentamento com o senador Pedro Taques. “Falo de mim mesmo e não de quem será adversário. Eu tenho um lado, o lado do governador Silval Barbosa e da presidenta Dilma, que tem trabalhado bem essas políticas sociais”.

Leia também:  Gabinete Itinerante atende comunidade do bairro Morumbi e região

Questionado sobre o comportamento do senador Pedro Taques em não cumprir integralmente os 8 anos de mandato para se candidatar ao governo, Julier disse que não concorda com o comportamento. “Eu acho que a interrupção do mandato é prejudicial ao interesse da população. Aquele que foi eleito deveria permanecer no cargo”.

O juiz disse que não tem um plano B definido caso seja mal sucedido nas urnas. “Ainda não pensei sobre isso”.

No discurso, ele enfatizou toda sua trajetória pessoal e profissional, do nascimento em Chapada dos Guimarães aos 19 anos na magistratura federal. “Tive várias batalhas, a luta contra o crime organizado”. Ele lembrou outras sentenças importantes como a que reduziu impostos sobre a energia elétrica e telefonia em Mato Grosso.

Leia também:  Irmã de Aécio Neves deixa presídio e segue para prisão domiciliar

O PMDB não deu garantias de que ele seria o candidato ao governo do Estado, mas Julier está animado em disputar qualquer cargo. “Se o partido entender que devo disputar um cargo, me sentiria honrado se me disserem ‘você pode desempenhar essa missão’”.

O presidente regional do PMDB, Carlos Bezerra, disse que o presidente nacional do partido, senador Valdir Raupp, conheceu Julier quando este foi juiz federal em Rondônia e fez a questão da filiação em Brasília.

“Sua filiação ao partido é importante porque se trata de um magistrado com uma história que combina com perfil do PMDB. Nasceu na beira do Rio da Casca, de família humilde de lavradores, militou na Pastoral da Terra defendendo os sem-terra, o que é uma demonstração de compromisso com a questão social, um dos lemas do PMDB”.

Leia também:  Vereador Thiago Silva propõe avaliações periódicas em prédios escolares da Rede Municipal
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.