Recentemente, o vereador Mauro Campos do PT, apresentou propositura ao Executivo, através da Secretaria Municipal de Educação, para as escolas públicas do município possam garantir condições de implantação do Programa Escola Aberta.

O Programa Escola Aberta: Educação, Cultura, Esporte e Trabalho para a Juventude, proposto pela UNESCO, acatado pelo Ministério da Educação é uma ação governamental que se estrutura, a partir da abertura do espaço público escolar, aos finais de semana, para a apropriação pelas comunidades locais.

A proposta Pedagógica do Programa Escola Aberta evidencia a opção política por conceitos como apropriação democrática do espaço público, valorização das culturas locais, celebração das diferenças no âmbito da igualdade perante a lei e socialização do saber como promoção de autonomia e de participação social. Portanto, sua presença em áreas urbanas com um alto índice de risco e vulnerabilidade social ultrapassa a intenção de buscar a simples solução de retirar os jovens das ruas, ocupando-lhes o tempo. Trata-se de movimentar atores políticos, técnicos, públicos e privados, de âmbitos federal, estadual e municipal a fim de solidificar as experiências vividas, de forma a que sejam incorporadas à vida das escolas e promovam transformações culturais profundas no cotidiano das populações envolvidas.

Leia também:  Coral UFMT leva espetáculo Canta Beatles para Rondonópolis

Abrir as escolas aos finais de semana para que as comunidades as utilizem como locais de vivência do encontro entre criatividade, lazer e aprendizagem é uma ação aparentemente simples. Entretanto, se orientada pela intencionalidade educativa, pode repercutir de maneira duradoura e positiva no ethos e na visão de mundo das pessoas envolvidas.

Para tanto, é necessário que a Secretaria Municipal de Educação dê as condições que prima o programa, garantindo assim as estruturas locais e humanas para a implantação desse programa sem maneira alguma sobrecarregar os compromissos pedagógicos escolares da vida cotidiana da escola.

“Somos sabedores de que há vários mecanismos de ordem pedagógica e logística que podem ser adquiridos através de linhas disponíveis pelo MEC que possibilitam a adequação necessária de uma escola para garantir o programa”, afirma o vereador referindo-se aos formulários que compões o referido programa, que garante desde financiamento de estruturas físicas para as escolas até contratação de profissionais.

Leia também:  Projeto de Lei do vereador Orestes restabelece o nome da “Travessa do Belinho”
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.