De pedra, o Ministério Público Estadual passou a ser vidraça de alguns políticos alvos de ações da instituição. Primeiro foi o vereador cassado, João Emanuel (PSD), genro do deputado José Riva, a anunciar que vai processar os promotores do Grupo de Atuação e Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Ele diz ser vítima de uma ação orquestrada para prejudicá-lo.

Agora é o senador Blairo Maggi que se sentiu vítima de uma possível ação política do MPE. Ele disse que tomou todas as ações cabíveis enquanto governador de Mato Grosso para coibir o esquema que ficou conhecido como ‘escândalos dos maquinários’, após a apuração de compra de máquinas pesadas com valores acima dos praticados pelo mercado.

“Acho que alguns membros do Ministério Público não podem atuar politicamente com ações de cunho político. Eu obviamente vou estudar, analisar o que fazer”.

O MPE ingressou com ação contra Blairo Maggi quatro anos após o caso vir à tona, contudo, nunca houve menção do envolvimento do senador no esquema.

 

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.