Depois que Dana White disse que Phil Davis era um lutador que não se posicionava com relação ao que quer na carreira e que se contentava em ficar perto do número quatro da divisão, “Mr Wonderful” parece ter entendido o recado e tem feito questão de demonstrar que quer sim a chance ao cinturão de Jon Jones. Phil, inclusive, começou uma perseguição a “Bones”, desafiando o campeão em toda e qualquer oportunidade que tem e dizendo aos quatro cantos que o derrotaria de todas as formas possíveis. Nesta quinta-feira, durante encontro com a imprensa promovido pelo UFC no Camden Yards, estádio do time de beisebol Orioles Baltimore, o peso-meio-pesado chegou a tentar encarar Jones em um momento descontraído, mas que não deixou de ser provocativo. Antes, ele soltou o verbo aos jornalistas sobre como acha que venceria o campeão:

– Ele é um frango…é isso o que Jones realmente é. O que eu faria é que eu cruzaria o octógono, acertaria a cara do Jon Jones, o levaria ao chão, o encheria de porrada e arrancaria os seus braços. Do mesmo jeito que a Ronda Rousey faz… Na verdade eu iria treinar com ela para aprender essa técnica, ela é muito boa nisso, tem uma chave de braço incrível – disse arrancando risos dos jornalistas.

Leia também:  1º Campeonato de Futebol Amador é suspenso temporariamente

Questionado sobre o que achava de Jones ter vencido nomes como Maurício Shogun, Rampage Jackson, Rashad Evans e Vitor Belfort para conseguir se manter no topo da divisão meio-pesada do UFC, Davis voltou a ser irônico:

– A pergunta é em qual escala? Na escala de frango ou na escala de homem? Até agora Jones tem sido excelente dentro do octógono, mas eu também vou dizer que ele já enfrentou dois caras que nem eram pesos-meio-pesados. É para rir. Nas lutas em que ele enfrenta pesos-meio-pesados ele tem sido mais ou menos, tem tido alguns altos e baixos. Ele venceu dois caras que não eram pesos-pesados, ótimo, mas eles sequer eram desafiantes número um.

Leia também:  União faz resultado e fica com título no sub-19

“Mr Wonderful” continuou as provocações ao falar sobre o duelo entre Jones e Alexander Gustafsson, que aconteceu em setembro do ano passado e que gerou polêmica sobre o resultado, pois muitas pessoas acharam que o sueco deveria ter saído com o braço erguido ao final:

– Alexander bateu tanto nesse cara que eu nem sabia o que estava acontecendo. Eu achei que Jones iria desistir. Ele deveria ter feito isso, porque agora ele vai ver o que eu vou fazer com ele. Ok, ele derrotou o Rashad, ótimo. Eu comecei a lutar em 2008, parece que eu me formei, corri para a academia e comecei a treinar MMA. Ele já estava no UFC naquela época, treinando. Ouça, eu sou muito novo nisso, eu já disse algumas vezes que estou constantemente evoluindo e aprendendo, mas ainda sou novo nesse jogo. Eu estava lutando contra o desafiante número um um pouco depois disso e, para mim, isso já foi uma conquista. Eu cheguei lá ainda sendo desconhecido. Rashad Evans tinha muito mais experiência do que eu, ele é um excelente lutador, um ex-campeão e ele me encheu de porrada. É claro que eu não cheguei perto de acertá-lo, mas ele não me nocauteou, ele só me derrotou. Mas Jones, ele treinou com o cara e enfim…eu tenho treinado há algum tempo, estou mais confortável no meu jogo e vou quebrá-lo ao meio. E quando eu digo ele eu realmente me refiro ao Jones, mas também ao Rashad Evans. Eu quebraria qualquer um deles no meio! – finalizou.

Leia também:  Público reage e evita prejuízo para o União

Phil Davis enfrenta neste sábado Anthony Johnson pela co-luta principal do “UFC: Jones x Teixeira”, em Baltimore. O Canal Combate transmite o evento ao vivo, a partir das 20 (horário de Brasília) e o Combate.com acompanha todos os detalhes em Tempo Real. A pesagem ocorre nesta sexta-feira, com transmissão do canal e do site às 17h.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.