O pré-candidato ao Governo, o senador Pedro Taques (PDT) está por um fio para ficar isolado politicamente em Mato Grosso. Pelo visto o pedetista não conhece aquele velho ditado ‘melhor um pássaro na mão do que dois voando’ é esse tipo de atitude de Taques que pode afastar os aliados que atualmente são PDT, PSB, PPS, PV, PSDB e DEM.

Segundo uma fonte da Coluna BASTIDORES quem não anda contente com as atitudes do pedetista é o pré-candidato ao Senado pelo Democratas, Jayme Campos e apesar de não confirmar o Partido já prevê um rompimento.

Todo esse impasse que está se formando é porque Taques quer ter em seu palanque o Partido Republicano (PR), só que para ter a sigla significa que o candidato da coligação para o Senado será o deputado federal Wellington Fagundes que já trabalha a sua campanha para a tão sonhada vaga.

Leia também:  Zaqueu deve permanecer preso

De acordo com fontes Taques teria até pedido uma pesquisa eleitoral para poder definir quem seria o candidato ao Senado pela base aliada e isso teria levantado a fúria de Jayme Campos.

Ele chegou a dizer que não precisa de Taques para se reeleger, já que está a cerca de 40% a frente de seus concorrentes em pesquisas, sem contar que ele garante que carrega consigo outros sete Partidos. Outra sigla que já abandonou o barco (leia aqui) foi o Partido Progressista (PP) devido à mesma atitude do senador pedetista que é a de pela manhã conversar com um candidato, fazer compromisso e depois a noite já conversa com outro e vira o disco.

Leia também:  Racha no PSB | Bissoni perde o cargo e Valter Arantes será o novo presidente
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.