O presidente interino da Ucrânia, Alexander Turchinov, sugeriu nesta segunda-feira a possibilidade de organizar um referendo sobre o status do país no mesmo dia das eleições presidenciais, previstas para 25 de maio.

“Nos últimos dias se falou muito sobre um referendo nacional. Não somos contrários à celebração de um referendo em toda a Ucrânia que, se o Parlamento decidir, poderia acontecer no mesmo dia das eleições presidenciais”, declarou Turchinov durante uma reunião de líderes dos grupos políticos no Parlamento.
“Tenho certeza de que a maioria dos ucranianos se pronunciará a favor de uma Ucrânia indivisível, independente, democrática e unida”, completou o presidente interino.
Separatistas que assumiram, há alguns dias, o controle de prédios oficiais no leste do país exigem a celebração de referendos locais sobre a anexação de regiões de língua russa do leste e do sul da Ucrânia à Rússia ou uma “federalização” do país.

Leia também:  EUA quer que o Brasil e os demais países latinos rompam com Coreia do Norte

A Rússia defende uma “federalização”, que para Moscou é a única maneira de garantir os “interesses legítimos” das regiões de língua russa do leste e do sul da Ucrânia.

Turchinov não revelou que projeto poderia ser submetido a referendo.

As autoridades pró-Ocidente de Kiev, que chegaram ao poder após a queda do regime pró-Moscou no fim de fevereiro e que a Rússia não reconhecem, haviam rejeitado até o momento qualquer ideia de “federalização”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.