O Governo do Estado de Mato Grosso decretou intervenção administrativa nos hospitais regionais de Colíder e Alta Floresta, gerenciados pelo Instituto Pernambucano de Assistência à Saúde (Ipas), por constatar por meio da Comissão Permanente de Contratos inadimplência por mais de 120 dias do Ipas com fornecedores, prestadores subcontratados pela Organização Social de Saúde no caso específico o Corpo Clínico dos hospitais, e também o não pagamento de água, luz, materiais hospitalares, que resultaram no risco de paralisação das atividades dos hospitais e a precarização do atendimento à população

Com a intervenção, o Estado assume todos os compromissos administrativos e os hospitais voltam a funcionar normalmente com o restabelecimento de todos os serviços médicos-hospitalares. No prazo de 30 dias, a contar da data da publicação do decreto de nº 2337-14, de 05 de maio de 2014, a Secretaria de Saúde (SES/MT) começa, por meio de procedimentos administrativos, a apurar as causas determinantes da medida e definir responsabilidades, assegurando o direito da ampla defesa.

Leia também:  Cinco hospitais filantrópicos devem receber ajuda emergencial do governo de MT

O secretario de Estado de Saúde, Jorge Lafetá, disse que a medida foi necessária, para melhorar a prestação de serviços públicos de saúde à população por estas unidades. “Vou estar presente junto aos servidores designados (interventores), e já conversei com os servidores dos hospitais e escritórios Regionais. Juntos vamos formar grupos de trabalho no auxilio à gestão. Todos os compromissos assumidos vão ser honrados”, garantiu Lafetá.

O prazo da intervenção é de até 180 dias, a contar da data da publicação.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.