O Solidariedade realiza na manhã de hoje (10) um encontro regional da legenda, na Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM). O evento servirá para oficializar o posicionamento do partido no pleito deste ano, tanto no que se refere à chapa majoritária, quanto à proporcional.

A informação é do presidente do Diretório Regional da sigla, o deputado estadual Adalto de Freitas, o Daltinho. De acordo com ele, o encontro contará com a presença do secretário-executivo Nacional, que deve homologar a decisão do partido em âmbito estadual.

Daltinho também nega os rumores de que o partido estaria rachado e as afirmações de que ele tria “patrolado” lideranças para homologar o diretório.

“Não tem nada disso. Nós fizemos tudo que a Nacional pediu. Ninguém é obrigado a fazer homologação às presas, existem prazos. Isto é conversa de pessoas que entraram pela porta do fundo do partido e vão sair por elas”, cutucou.

Leia também:  Vereador Thiago Silva participa de lançamento do programa Água para todos

As declarações de Daltinho fazem referência às afirmações do militante Rodrigo Rodrigues, que o acusa de não ter cumprido um acordo para a indicação dos membros da diretoria do partido.

O trato seria que a Força Sindical, o ex-prefeito de Rondonópolis, José Carlos do Pátio, e o próprio Daltinho indicariam, cada um, dois nomes para compor o diretório estadual.

Ainda de acordo com Rodrigues, o parlamentar tentou, no entanto, homologar, sozinho, a diretoria. Por conta disso, militantes da legenda teriam isolado o deputado politicamente.

A situação teria feito ainda com que pré-candidatos da legenda se desestimulassem a disputar o pleito de outubro. Rodrigues afirma que o Solidariedade tinha 25 pré-candidatos a deputado estadual e nove a deputado federal, mas que hoje estes números foram reduzidos a quatro e três, respectivamente.

Leia também:  Thiago Muniz alerta que valores da taxa de lixo são absurdos e ilegais

Todas as declarações dele, no entanto, foram negadas por Daltinho.

O Solidariedade foi criado no final do ano passado. Os principais idealizadores da legenda em Mato Grosso foram Daltinho e Zé do Pátio, que conseguiram cooptar diversas lideranças do PMDB para o novo partido.

A legenda nasceu já pensando em ganhar musculatura no pleito deste ano, por isso, a prioridade era a formação de uma boa chapa proporcional. A intenção era eleger, no mínimo, três nomes à Assembleia Legislativa e um para a Câmara Federal.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.