O adolescente Tiago Pereira Mendes, de 17 anos, foi assassinado quando tentava assaltar policial militar que reagiu a abordagem. O militar chegava em sua casa em seu Gol, no Jardim Industriário, II em Cuiabá. O policial atirou duas vezes acertando o garoto no tórax e cabeça. Testemunhas disseram que o adolescente estava acompanhado de um cúmplice que estava numa motocicleta e pegou a arma do menor. Em seguida, fugiu em alta velocidade. O homicídio ocorreu, por volta das 21h30.

Conforme policiais militares que atenderam a ocorrência, o PM chegava em sua casa e ao abrir o portão, teria sido abordado pela dupla que estava na motocicleta. O adolescente estava na garupa e rendeu o policial exigindo que os levassem para dentro da residência.

Leia também:  Barra do Garças | Integrantes de quadrilha especializada em furtos de gado são presos

O militar teria atirado baleando o garoto que caiu da moto. O piloto teria pego a arma do adolescente e fugiu em alta velocidade. Um carro do Samu esteve no local, mas os socorristas confirmaram o óbito.

O adolescente foi reconhecido pelo padrasto que esteve no local, avisado por um morador que o garoto poderia ter sido baleado numa tentativa de assalto num bairro próximo. Ao chegar ao local, o padrasto identificou o adolescente através da tatuagem que tem na perna.

Aos policiais da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa, o padrasto disse que Tiago esteve internado no Complexo do Pomeri cumprindo atividades socioeducativas, mas não sabia que o enteado estava envolvido em roubos.

Leia também:  "Matei por raiva" | Polícia cumpre mandado e jovem confessa crime contra sogro em MT

O padrasto acrescentou que Tiago saiu de casa, no bairro Pedra 90, por volta das 20 horas e disse que iria sair com alguns amigos, mas não forneceu detalhes.

Assim que chegaram ao local, policiais da DHPP não encontraram o PM suspeito de ter reagido ao assalto. Eles teriam conseguido o nome do policial que ficou de se apresentar na Delegacia, já nos próximos dias.

A delegada Sílvia Pauluzi, que esteve no local iniciando os trabalhos, deverá ouvir também testemunhas para acelerar as investigações. Ela acredita que, com a apresentação do policial e os depoimentos, só restarão os laudos. (AR)

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.