O vereador Rodrigo da Zaeli (PSDB) usou a tribuna livre da Câmara Municipal, nesta quarta-feira (28), para fazer críticas ao Governo do Estado, com relação a não realização do vestibular da Universidade do Estado de Mato Grosso – Unemat. As provas deveriam ser aplicadas no domingo, mas foram canceladas após uma intervenção do Ministério Público que apontou irregularidades no processo e mandou suspender a implantação do Núcleo de Rondonópolis e as provas do que seria o primeiro vestibular no município. A informação é de que cerca de 500 pessoas se inscreveram para concorrer às 150 vagas oferecidas nos cursos de Letras, Direito e Jornalismo.

Segundo o legislador, sonhos foram destruídos. “Faltou planejamento do Governo do Estado. Todos ficaram na expectativa com o anúncio da instalação da Unemat na cidade. Só que me pergunto: como anunciar algo antes de preencher os requisitos necessários para a realização das provas?”.

Rodrigo da Zaeli reafirmou que os prejuízos causados às pessoas que se inscreveram são, sim, de responsabilidade do Governo. “Só falta dizer agora que a culpa é de quem se inscreveu”, ironizou.

Para o vereador o governo vem cometendo uma sucessão de erros nesta questão da implantação da Unemat na região sul. “Primeiro, frustraram a expectativa da cidade de Alto Araguaia, quando destinaram para aquela cidade, cursos para os quais não havia demanda. Agora, frustram a população de Rondonópolis com essa tentativa de implantação de um núcleo sem as condições mínimas de funcionamento”.

Zaeli disse que ninguém é contra a implantação da Unemat em Rondonópolis ou qualquer outra cidade da região sul, mas condenou a forma improvisada com que o assunto vem sendo tratado. “É necessário que se instalem aqui cursos que se encaixem com as necessidades e demanda da nossa região. Por que não trazem um curso de Agronomia, por exemplo?, questionou

Segundo o vereador, apesar dos municípios estarem cumprindo com a contrapartida em obras que beneficiam as cidades, está tendo que assumir ainda compromissos de responsabilidade do Governo de Mato Grosso. “Mais uma vez vai sobrar para o município cumprir com obrigações do Estado. Chega, não é! Todos aqui lutam pela cidade, mas não há o mesmo compromisso no nosso governador. Estou entristecido com essa situação”, conclui.

 

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.