A direção nacional do Partido Democrático Trabalhista (PDT) declarou nesta terça-feira (10) o apoio ao projeto de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) e do vice Michel Temer (PMDB). Agora a pergunta que não quer calar é como ficará esse apoio em Mato Grosso, já que o pré-candidato ao governo pelo PDT é o senador Pedro Taques que vive fazendo críticas ao comando de Dilma.

Taques também se aliou a principal oposição do Governo de Dilma que é o PSDB que jamais aceitará o PT em seu palanque.

Segundo o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, onde a sigla tiver candidato a governador, como é o caso de Mato Grosso, a direção estadual terá liberdade para construir suas alianças regionais com autorização da executiva nacional.

Apesar disso nas duas visitas de Dilma Rousseff a Mato Grosso, a presidente deixou claro que gostaria de palanque único. O que resta saber é se Taques vai conseguir resistir a pressão da cúpula nacional e dar palanque a Aécio Neves (PSDB) ao invés de dar a Dilma.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.