O mês de junho, como se esperava, não foi bom para os concessionários de veículos. De acordo com o balanço mensal divulgado pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores de Mato Grosso (Fenabrave-MT), as cidades de Cuiabá, Rondonópolis, Sinop, Sorriso e Várzea Grande emplacaram juntas 4.871 unidades, número 9% menor do que maio deste ano, quando 5.382 veículos foram comercializados.

De acordo com o presidente da Fenabrave-MT, Manoel Guedes, o “efeito Copa” provocado pelos jogos da competição mundial, foi um dos fatores que mais influenciou nos resultados. “Tivemos somente 18 dias úteis no mês de junho e isso contribuiu para redução nas vendas. O Estado também está sentido o reflexo da economia do país, que não tem alcançado bons números”, explicou.

Leia também:  Colisão frontal entre carreta e utilitário deixa três mortos na BR-163

O segmento que mais emplacou foi o de automóveis, que registrou leve queda de 1% em relação a maio. Ao todo foram comercializados 2.199 automóveis, contra 2.238 do mês anterior. Já as categorias de motos e caminhões sentiram maior retração, totalizando queda de 15% e registro de 1.588 e 163 unidades emplacadas, respectivamente.

Em Cuiabá, a venda de novos veículos caiu 9%, em um total de 2.436 emplacamentos. As cidades do interior também seguiram a tendência. Rondonópolis, por exemplo, emplacou 744 unidades, número 15% menor do que maio deste ano. Já a cidade de Sorriso, vendeu apenas 268 veículos, registrando queda de 14%.

Manoel Guedes explicou que apesar de alguns jogos da Copa terem sido realizados em Cuiabá, o expediente reduzido para os jogos do Brasil também prejudicou o faturamento das concessionárias do interior. “O resultado foi os baixos índices apresentados não só em Cuiabá e Várzea Grande, mas também nas cidades do interior”.

Leia também:  Sejudh define criação de espaços ao público LGBT em unidades prisionais

Guedes também ressaltou que o primeiro semestre de 2014 não foi satisfatório para os concessionários, principalmente se comparado ao ano passado. “Em 2013, a economia do país estava melhor do que atual e confiança do consumidor ainda estava em alta. Sem contar que o IPI ainda estava reduzido e o crédito mais acessível. Dessa maneira, conseguimos alcançar bons resultados, diferente do que está acontecendo neste ano”, disse o presidente.

Para o segundo semestre, as expectativas não são positivas. De acordo com a estimativa da Fenabrave Nacional, já é esperada uma queda de 7% na venda de automóveis e comerciais leves (caminhonetes) e de 14% para os segmentos de caminhões e ônibus.

NACIONAL

Leia também:  Primavera | Justiça estabelece prazo para adequações em Estádio Cerradão e Ginásio Pianão

Em todo o país, foram comercializados 385.279 unidades em junho, número 12% menor do que maio deste ano e 16% menor do que o mesmo período do ano passado. No acumulado do ano, o Brasil segue negativo 6%, com 2.491.887 emplacamentos.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.