O João Pessoas Espectros está investindo em outros esportes além do futebol americano. Isto porque a diretoria do clube anunciou que vai montar um time de basquete feminino para disputar o Campeonato Paraibano e a Copa Nordeste da modalidade. De acordo com o presidente do Espectros, Gustavo Sousa, a intenção é aproveitar os talentos revelados nas categorias de base da Paraíba para que elas permaneçam atuando pelo Estado quando elas chegam numa idade maior.

– No nosso Estado, é muito comum que atletas de destaque nas categorias de base, quando chegam nos seus vinte e poucos anos, tenham que ou tentar a sorte no Sudeste do país ou abandonar suas carreiras e seus sonhos. O que estamos fazendo é criar uma nova oportunidade para manter essas atletas aqui, com possibilidade até de participação em competições nacionais. Temos uma excelente base no basquete feminino na Paraíba. Meninas que conquistaram campeonatos brasileiros de base, mas que fatalmente teriam que parar de jogar. Estamos cumprindo nossa missão de inspirar os jovens a praticarem o esporte e viverem seus sonhos – explicou o presidente do Espectros.

Leia também:  Federação realiza arbitral após desistências em série

E para comandar a equipe, o clube chamou dois nomes conhecidos no basquete paraibano. O ex-presidente da Federação Paraibana, Ricardo Prado, e o técnico Adriano Lucena. O primeiro vai assumir o cargo de diretor do departamento de basquete. Já o segundo vai ficar responsável por montar e dirigir a equipe.

Segundo Ricardo Prado, os treinos do time de basquete do Espectros vão acontecer no Ginásio do Unipê. Ele disse ainda que a prioridade é formar um time com atletas reveladas no Estado, como é o caso das jogadoras Érica e Helena.

– Nossa intenção é entrar já nesse ano na liga de desenvolvimento e ano que vem buscar uma vaga na liga adulta.

Para o futuro, inclusive, eles pretendem quem sabe a chegar na competição máxima do esporte no Brasil:

Leia também:  Brasil vence a Holanda e tem desafio mortal contra os Estados Unidos

– A Liga de Basquete Feminino é uma competição forte e que exige mais recursos. Ela já tem dois times no Nordeste, em São Luiz e em Recife, que jogam sempre com casa cheia e têm jogadoras da seleção brasileira e também estrangeiras nos seus elencos. É uma grande atração para a população das cidades, com jogos transmitidos em rede nacional. Pretendemos obter o apoio necessário para um dia incluir João Pessoa na Liga – contou Ricardo Prado.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.