Com a voz embargada e ainda sem acreditar no tamanho da conquista da filha Izabela Rodrigues da Silva, 18 anos, que foi ouro no Campeonato Mundial de Juvenis de Atletismo nos Estados Unidos, o pai Luiz Rodrigues não vê a hora de abraçá-la. Morador de Adamantina, cidade do interior de São Paulo, o funcionário público confessa que a família se surpreendeu com o ouro e o recorde brasileiro obtidos pela filha no lançamento de disco.

– É uma emoção sem tamanho. Nós esperávamos uma medalha, mas o ouro e o recorde brasileiro foi algo único. Estou muito surpreso com tudo isso que está acontecendo e não sei explicar o tamanho da nossa alegria. Não vejo a hora de dar um abraço bem apertado nela e dizer o tanto que valeu a pena todos esses anos de treinamentos.

Leia também:  União aposta em Ricardo para bater o Cuiabá

Segundo o pai, os primeiros passos da filha no esporte foram difíceis, principalmente pelo temperamento explosivo da jovem.

– Ela sempre gostou de praticar esportes. Começou aos 8 anos no futebol e no handebol. Um dia, perceberam que a Izabela tinha muita força física e resolveram treiná-la no lançamento de disco e no arremesso de peso. Mesmo sem gostar, ela começou a praticar com frequência e depois não parou mais.

Devido aos resultados positivos obtidos em competições, a jovem adamantinense recebeu o convite para morar e treinar em São Caetano do Sul.

– Além da distância, ela ganhava muito pouco e nós tínhamos que ajudá-la financeiramente. Hoje as coisas melhoraram e nós estamos colhendo o que plantamos.

Leia também:  União estreia com derrota diante do Dom Bosco no Luthero

Ainda sem contato com a filha, a família aguarda a chegada de Izabela no Brasil. Conforme os pais, a jovem deve viajar para sua cidade natal em uma semana.

Marca

Treinada por João Paulo Alves da Cunha, Izabela conquistou o título mundial ao conseguir 58,03m em sua segunda tentativa no lançamento de disco. A marca representou o novo recorde brasileiro e melhor marca no ranking da IAAF da categoria em 2014.

Nascido na mesma região de Izabela, Mateus de Sá também fechou o Mundial com medalha. No Salto triplo, ele conquistou o bronze para o Brasi, que terminou o Mundial Júnior em 13º lugar no quadro de medalhas entre os 167 países inscritos. Os vencedores foram os Estados Unidos, que conquistaram 11 medalhas de ouro, cinco de prata e cinco de bronze. Quênia, Etiópia, Reino Unido e Rússia completaram o top 5.

Leia também:  União precisa vencer para ficar com título do sub-19

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.