Lei é discutida - Foto: Varlei Cordova / AGORA MT
Lei é discutida – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

A polêmica lei que regulamenta o tempo de espera em filas de supermercados de Rondonópolis dever ser alterada. A intenção foi decidida em uma reunião realizada no fim da manhã desta quinta-feira (24), que reuniu o Poder Público, sindicalistas e comerciantes do gênero.

O regulamento foi sugerido ainda este ano pelo vereador Thiago Silva (PMDB) e sancionado pelo prefeito Percival Muniz (PPS) no mês passado, porém a proposta não foi bem visto pela categoria. “Faltou uma discussão entre as partes. Agora aprovaram a lei sem ver nossas limitações”, comenta Almir Batista, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Rondonópolis.

De acordo com o coordenador do Procon, Juca Lemos (PPS), a lei está bem embasada e não vê nenhum problema de aplicá-la.
“Lei se cumpre e estamos aqui para isso. A proposta não é nenhuma novidade e já vigora em várias cidades do país, inclusive maiores que nosso município”, pontua Juca Lemos.

Leia também:  Mostra Kasa e Construção 2017 será realizada nos dias 25, 26 e 27 em Rondonópolis

Fora isso o coordenador também criticou o fato de ter apenas quatro representantes dos supermercados, haja vista que são pelo menos dez redes fortes no município. Ele também lembrou o fato da necessidade dos mercados fazerem algo para valorizar seus clientes, uma vez que já confeccionou várias autuações devidos a alimentos vencidos ou condicionados de forma irregular. “É muito complicado ficar na fila por mais de uma ou duas horas”, ponderou.

Já Thiago Silva (PMDB) abriu um diálogo para que todos possam pontuar e sugerir adequações. A princípio a lei estabelece um prazo de 15 minutos de espera.

“Podemos pensar em mais tempos e ressalvas, mas temos que priorizar o atendimento ao consumidor que é o que todos querem”, argumenta.

Leia também:  Modo de encantar clientes da Disney será tema de palestra da CDL

Almir Batista ainda ressalta que a reunião foi vantajosa uma vez que abriu esse leque de discussões que antes não havia acontecido. Contudo o sindicato não descarta a possibilidade de continuar com a ação judicial no futuro, para que possa reverter a situação se nada for acordado.

CONQUISTAS

A lei também estabelece que os mercados tenham obrigatoriamente caixas rápidos para compras de até 20 volumes. Apesar de ainda não fiscalizada, a rede Assaí entendeu a necessidade dos rondonopolitano e anunciou que vai estar implantar nos próximos dias.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.