Foto:  Divulgação
Foto: Divulgação

Dinheiro, muiiito dinheiro, joias, carros luxuosos, roupas de marca, fama… Isso tudo agora faz parte da rotina de MC Guimê. O ídolo, batizado Guilherme Aparecido Dantas, conquistou o público com seu funk ostentação e tem uma legião de fãs de todas as classes sociais Brasil afora. Além disso, Guimê é um dos queridinhos da web, das rádios e dos programas de TV. Garantia certa de audiência por seu jeito descolado, músicas que têm a cara do povo, personalidade marcante e, claro, por suas polêmicas…

Não é por acaso que arrebenta em atrações como Legendários, Domingão do Faustão e Hora do Faro, por exemplo, na qual arrepiou durante semanas no quadro Isso Eu Faço. Também não é à toa que sua música País do Futebol ­está na abertura da novela G3R4­ÇÃO BR4S1L, da Globo.

Leia também:  Scalene encara 'mundo' do Rock in Rio com competência e incredulidade

É… o garoto de 21 anos, nascido em Osasco (SP), sempre sonhou viver de música, mas jamais imaginou chegar tão longe. Ele faz de 30 a 40 shows mensais com cachês entre R$ 35 e R$ 50 mil. Diz que fatura mais de R$ 1 milhão por mês e vive em um apartamento top no bairro do Tatuapé, na capital paulista. Nada mal, hein!?

Com estilo irreverente e corpo coberto de tatuagens, o ídolo é alvo certo da mulherada. Ele está solteiro e quer aproveitar muito tudo isso. Nesta entrevista exclusiva a TITITI, Guimê conta como é a vida longe dos palcos, fala das expectativas profissionais e pessoais e faz confidências. Vem ver!

Leia também:  Taylor Swift lidera a lista 'Billboard 200' pela 3ª semana seguida com 'Reputation'

Como era sua vida antes de ficar famoso?
A de um garoto humilde. Nunca passei necessidade, o arroz com feijão não chegou a faltar, graças ao meu pai (Paulo Eduardo Dantas), mas nunca tive luxo. Se quisesse um tênis ou uma roupa da moda, tinha que trabalhar (ele ralou muito em uma quitanda e como lavador de carro em um posto de gasolina, por exemplo).

Sempre gostou de funk?
Meus primeiros sonhos de me tornar músico eram mais voltados para a música underground (rock alternativo, rap…). Eu brincava com meus amigos, mas era muito novo e desisti. Então comecei a ver o sucesso do MC Lon (ídolo do funk ostentação que estourou com o hit Novinha Vem, Que Tem) e quis partir para esse mundo. Fui correndo atrás de tudo, aos 16 anos.

Leia também:  Madonna mostra vídeo de filhas cantando e dançando hit de Mc Kevinho

Pressentia o sucesso?
Não imaginava que minhas conquistas iriam tomar uma proporção tão grande. Quando comecei a viver um pouco do meu sonho já imaginei que estava no topo, no auge. E graças a Deus agora posso alcançar bem mais do que já tenho.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.