Dados da Secretaria Municipal de Saúde apontam que em Rondonópolis as notificações por HIV/AIDS podem dobrar em relação ao ano anterior. Em seis meses os registros da doença já representam 81,15% de todo ano de 2013.

Entre janeiro e junho deste ano foram notificado 56 casos da doença, enquanto nos 12 meses de 2013 foram 69 novos registrados. Caso a proporção seja mantida os índices que se mantiveram entre 54 a 69 novos casos por ano entre 2007 e 2013, exceto 2011, será superada significativamente.

De acordo com a coordenadora do departamento de prevenção à doença, Cristina da Silva, o aumento significativo é decorrente da descentralização para diagnostico do HIV que tem atingido mais bairros da cidade.

Leia também:  Falta de atenção resulta em acidente no Jardim Pindorama em Rondonópolis

Rankings

O último relatório do Ministério de Saúde, com dados entre os anos de 2001 e 2012, aponta que a média nacional da doença, a cada 100 mil pessoas, é de 20,2 notificações. Dentre os estados, Mato Grosso ocupa a 13ª posição com a média de 19,4 casos e em relação as capitais o índice em Cuiabá é de 28,7 registros e coloca a capital mato-grossense em 14º lugar.

Em contrapartida no ranking das 20 cidades da região Centro-Oeste com mais de 100 habitantes, estão relacionados oito municípios de Mato Grosso, sendo que em Rondonópolis (2º) a média é 34,6, seguido por Tangará da Serra (4º) com 29,8, Primavera do Leste (5º) são 29,7, em Cuiabá (6º) são 28,7, em Várzea Grande (9º) a média é 26,3, Cáceres (10º) possui a média de 24,8, e por fim Sinop (13º) e Sorriso (19º) com 22,7 e 19,7 respectivamente.

Leia também:  Papo Empresarial discute hoje como cumprir metas

Segundo levantamento do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV e AIDS (Unaids) entre os anos de 2005 e 2013 houve uma aumento de 11% nas infecções por HIV no Brasil.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.