A empresa responsável pela obra plantou árvores entre a pista tátil de orientação para pessoa com deficiência visual – Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT
A empresa responsável pela obra plantou árvores entre a pista tátil de orientação para pessoa com deficiência visual – Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

Antes mesmo de ser concluída a obra da praça que contará com quadra poliesportiva no bairro Jardim Atlântico, em Rondonópolis, moradores já constataram irregularidades na execução, principalmente na acessibilidade para pessoas com deficiência visual.

“A pista tátil esta totalmente irregular” afirmou indignado Adesvaldo Dias dos Santos que foi surpreendido com as árvores plantadas no meio da pista enquanto caminhava, pois a mesma que tem finalidade de orientar as pessoas que não enxergam a transitar pelas vias e não devem ser obstruídas. “As pessoas podem se machucar ao usar a pista tátil, não tem condições de ser utilizada”, reclamou.

A diretora do Centro de Reabilitação Louis Braille, Chirlei Daiane da Silva, observou que infelizmente muitas pessoas não têm consciências da necessidade e finalidade da pista tátil e que é preciso oferecer um produto de qualidade para que a comunidade com deficiência possa utilizar sem trazer danos para as pessoas. E pontuou outro tipo de problema comum na pista tátil, principalmente na região central, que é a falta de continuidade na faixa.

Leia também:  Caps AD realiza Olimpíadas Esportivas nesta semana

De acordo com informações da assessoria de imprensa da prefeitura municipal, a obra é uma parceria público-privada e esta sendo executada por uma empresa que foi condenada a uma compensação devido um crime ambiental que cometeu.

O problema já foi observado pelo secretário Municipal de Meio Ambiente, Lindomar Alves, que notificou a empresa para que retire as plantas da calçada e plante mudas de ipê pela praça.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.