A Polícia Judiciária Civil (PJC) de Rondonópolis localizou neste fim de semana, em Campo Verde, cerca de 300 toneladas de adubos que foram roubados de uma empresa de Rondonópolis (Adubos Araguaia, veja aqui). Pelo menos sete pessoas prestaram depoimento, entre motoristas, empresário e um fazendeiro e de acordo com a PJC, o principal suspeito é o técnico agrícola Luciano Brito de Aquino, 38 anos, que foi preso por receptação.

Parte da carga foi recuperada na Fazenda Ajuricaba, localizada na BR-070 entre Campo Verde e Primavera do Leste, sendo que o maior volume estava guardado no depósito em uma empresa identificada como Norton Oliveira Fertilizantes.

Agora as investigações se concentram em identificar e localizar as pessoas envolvidas no roubo. Ao que tudo indica, Luciano serviu como peça chave para legalizar a mercadoria. Até o momento a PJC tem três nomes como supostos responsáveis pelo assalto. Edinaldo que participou como agenciador e Julio e Hilaris como os articuladores da mercadoria.

Investigadores que trabalharam na elucidação do crime, Rogério Augusto, Gislene Cabral e Valmir José - Foto: PJC
Investigadores que trabalharam na elucidação do crime, Rogério Augusto, Gislene Cabral e Valmir José – Foto: PJC

O Site AGORA MT, teve acesso a toda a documentação da investigação feita pela PJC que passa de 70 páginas. Em ordem cronológica, a reportagem explica passo a passo a movimentação dos suspeitos, desde o planejamento até a prisão.

Leia também:  Suspeito de aplicar golpe em quatro locadoras é preso

PLANEJAMENTO

Desde  sábado (12), um homem, identificado apenas como Edinaldo já estava sondando os arredores dos postos de combustíveis localizado no perímetro urbano de Rondonópolis, afim de encontrar alguém que pudesse fazer o carregamento. O valor pago pelo frete seria de R$ 5 mil, que segundo um dos motoristas é o dobro do valor comercializado normalmente.

No domingo (13), onde os motoristas já haviam sido contratados pelo agenciador, foi dada a orientação do local e horário que seria feito a carga.

ROUBO
Conforme já divulgado pelo Site AGORA MT, mais de oito homens encapuzados e armados renderam dois seguranças da empresa e com a pá carregadeira do local, roubaram cerca de 300 toneladas de adubo.

Era por volta de 00h30 de segunda-feira (14) quando os motoristas foram acionados para entrar na referida empresa e fazer o carreamento conforme o combinado.

Leia também:  Homem se apresenta em delegacia de Rondonópolis e diz que matou esposa com machado

Às 2h00 termina a carga e os motoristas foram orientados a irem até o Posto Ursão, localizado na BR-163, sentido Campo Grande, onde dormiram.

Às 7h30 os motoristas são informados para irem até uma fazenda chamada Santa Maria, em Itiquira, mas ao chegar no local receberam uma ligação informando que a carga não seria mais descarregada lá e sim em um depósito em Campo Verde.

Ambos os motoristas ressaltam que foram informados que iriam viajar sem nota, e que a mesma havia sido enviada por e-mail da empresa. Eles também alegam que não desconfiaram que a mercadoria era roubada.

Os motoristas foram identificados como Moises Myzykowski, Elias Gonçalves Teixeira, Domingos Pereira de Castro e Vilmar Moreira de Oliveira.

NEGOCIAÇÃO
Em depoimento aos investigados, o técnico agrícola Luciano afirma que já atuava na região revendendo defensivos agrícolas, afirmou que na segunda-feira (14) pela manhã (dia do roubo), um conhecido identificado apenas como Júlio, proprietário da empresa Mosaico Empreendimentos, situada em Rondonópolis ligou perguntando se o mesmo teria interesse em comprar cerca de 300 toneladas de adubo.

Leia também:  Homem é preso por tentativa de homicídio em bar de Pedra Preta

O preço pago foi de R$ 900 cada tonelada.

Luciano afirma que Hilaris providenciou a nota, e que negociou com a Norton o armazenamento, mas nega ter visto a carga já que tudo foi providenciado por telefone. Ele também ressalta que não conhece o agenciador Edinaldo.

RECEPTAÇÃO
Conforme Dalmo Pereira, administrador da Norton, Luciano teria o procurado na quarta-feira (16) perguntando sobre preços de armazenagem e disse que teria cerca de 300 toneladas para guardar. Uma vez que a nota foi apresentada, a empresa Norton aceitou armazenar pelo preço de R$ 35 por tonelada de adubo MAP.

José Eduardo Corassa, dono da Fazenda Ajuricaba, alega que aceitou guardar a mercadoria, a pedido de Luciano, uma vez que já o conhece.

PRISÃO
A detenção dos motoristas aconteceu em um posto de combustível localizado em Campo Verde, pouco tempo depois de descarregar o adubo, já Luciano compareceu na delegacia por vontade própria, onde foi ouvido e algemado.

Parte dos adubos roubados - Foto: PJC
Parte dos adubos roubados – Foto: PJC
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.