A chuva forte que caiu pouco antes do início do GP da Hungria, válido pela 11ª etapa, era o sinal: tudo podia acontecer. Imprevisível da largada à bandeirada, a corrida deste domingo teve pista traiçoeira, batidas, duas entradas de safety car e muitas, muitas disputas ao longo das 70 voltas no circuito de Hungaroring. Adicione a esses ingredientes um punhado de talento, uma pitada de sorte e uma tática perfeita e o resultado é uma surpreendente vitória de Daniel Ricciardo. Revelação da temporada, o jovem australiano da RBR ultrapassou Fernando Alonso e Lewis Hamilton nas voltas finais para alcançar seu segundo triunfo no ano e na carreira – o único que desbancou as Mercedes em 2014. O espanhol da Ferrari e o britânico da Mercedes venderam caro suas posições e completaram o pódio. Resultados que coroaram duas grandes atuações. Alonso segurou o segundo lugar no braço com pneus completamente desgastados. Já Hamilton, largou dos boxes após o incêndio em seu carro no treino classificatório, protagonizou uma espetacular corrida de recuperação e ainda segurou a pressão de seu companheiro de equipe e líder do campeonato, Nico Rosberg, que começara na pole – uma importante conquista na briga interna da dupla pelo título mundial. Felipe Massa completou a prova em quinto, enquanto seu parceiro de Williams, Valtteri Bottas terminou em oitavo, atrás de Kimi Raikkonen (Ferrari) e Sebastian Vettel (RBR). Completaram o top 10, Jean-Eric Vergne (STR) e Jenson Button (McLaren). Com uma prova eletrizante, a Fórmula 1 fecha a primeira parte da temporada e entra nas tradicionais férias de meio de ano em grande estilo. Após a parada, restarão apenas oito etapas, a primeira delas, o GP da Bélgica, dia 24 de agosto.

Leia também:  Copa Federação pode ter jogos às segundas

Largando da quarta posição, Ricciardo entrou na briga pela vitória após duas paradas nos boxes certeiras durante os dois períodos de safety car, acionado pelas batidas de Marcus Ericsson (Caterham) e de Sergio Pérez (Force India). O “pulo do gato” foi um terceiro pit stop a 16 voltas do fim. Com pneus macios e em melhores condições que os dos rivais, Daniel foi capaz de fazer as ultrapassagens e cruzar a linha de chegada em primeiro.

Massa adotou uma estratégia parecida com a do vencedor: começando em sexto, fez dois pit stops sob bandeira amarela, mas colocando pneus médios na segunda parada. O brasileiro chegou a pintar entre os primeiros colocados. Mas o carro da Williams não apresentava um ritmo forte após o segundo pit stop e a equipe antecipou sua terceira parada, com novo jogo de compostos médios. No fim, Felipe cruzou em quinto. Como consolo, terminou três posições à frente do companheiro de equipe, Bottas.

Leia também:  Derrota diante do Dom Bosco gerou prejuízo financeiro ao União

Apesar de ter chegado atrás de Hamilton, Rosberg segue líder da temporada 2014. O alemão da Mercedes chegou aos 202 pontos e viu sua vantagem diminuir de 14 para 11 pontos. Ricciardo aparece em terceiro com 131, seguido por Alonso (115). Com o quinto lugar, Felipe Massa alcançou os 40 pontos e tomou a nona posição de Kevin Magnussen (McLaren). Confira a classificação completa. No Mundial de Construtores, a Ferrari recuperou a terceira posição perdida para a Williams na semana passada. A Mercedes segue líder disparada, com RBR na sequência.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.