Quem saiu nas ruas de Rondonópolis pela manhã de hoje (23) pode observar um cenário de destruição. As folhas espalhadas pelas vias, faixadas e telhados arrancados, dava a impressão que a cidade estava abandonada há anos. Tudo provocado pela rápida chuva que caiu na noite desta terça-feira (22), acompanhada por uma forte rajada de vento. Às regiões mais atingidas foram a Vila Aurora e Centro.

O caso mais grave foi registrado no supermercado Big Master. Por lá, o telhado da parte do fundo (padaria, açougue e hortifrutigranjeiros), afundou. Populares contaram que era como cena de filme, pessoas correndo, caindo, uma sobre as outras. O número de vítimas no Big Master, confirmado com um bombeiro foi de duas, sendo que uma teve um corte na cabeça e outra quebrou a perna.

Leia também:  Mutirão Fiscal acontece na Prefeitura de 16 a 31 de outubro

Outros supermercados como Tend Tudo e Atacadão também tiveram prejuízos. Uma folha de zinco, arrancada do Atacadão foi parar pelo menos quatro quadras de distância. Seu Costoshi Nagai, morador de Rondonópolis há cerca de 50 anos conta que nunca viu algo parecido.

Nagai varre a rua em frente sua residência - Foto: Varlei Cordova / AGORA MT
Nagai varre a rua em frente sua residência – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

“Eu olhei para a janela e via a rua branca de tanta chuva. Três lâmpadas queimaram e meu ar condicionado também estragou. Por sorte não tivemos mais problemas, mas o vizinho sim”, conta Nagai enquanto varria a porta de sua residência.

O jornalista Hevandro Peres Soares está desabrigado, já que o apartamento onde aluga ficou destruído com a ventania. Ele destaca que falta apresto da administração do condomínio, em se preparar  para possíveis eventualidades como essa, já que o vento entrou no forro por dois buracos abertos.

 

Leia também:  Reunião entre Prefeitura e autoridades discute duplicação da BR-163

“Foi uma cena horrível. Aconteceu muito rápido, eu estava dormindo e minha esposa estava na sala quando escutamos um estrondo. Ela correu e veio para o quarto, foi quando vimos o teto rachar sobre nossas cabeças”, ponderou o jornalista acrescentando que outros apartamentos do prédio também tiveram o mesmo problema.

Ivo de Barros tem um estacionamento em frente à Prefeitura. Ele estima um prejuízo de R$ 4 mil com os telhados do local que foram arrancados. “Se fosse mais cedo acho que poderia ter sido pior já que haveriam carros estacionados aqui dentro”, comenta.

Ivo mostra o prejuízo - Foto: Varlei Cordova/ AGORA MT
Ivo mostra o prejuízo – Foto: Varlei Cordova/ AGORA MT

Fora os já citados, o Site AGORA MT acompanhou garagens de revenda de veículos destruídas, farmácias, posto de combustível, materiais de construção, poste caído e até uma piscina foi encontrada na rua, arrancada da empresa pela força do vento. Não foi difícil encontrar algum comércio que teve o telhado arrancado, ou o banner rasgado e o forro destruído.

 

Leia também:  Acidente na MT-130 deixa duas vítimas gravemente feridas
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.