O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) anunciou ontem (25) que 230 mil pessoas abandonaram suas casas no Leste da Ucrânia por causa da crescente tensão entre o país e separatistas pró-Rússia na região. Segundo o porta-voz da Acnur, Dan McNorton, 100 mil pessoas deixaram a zona de conflito e se deslocaram para outras regiões do próprio país, enquanto 130 mil atravessaram a fronteira e entraram na Rússia.

McNorton informou que, desde o início de junho, o número de moradores de Donetsk e Lugansk, principais cidades dos conflitos, que deixaram suas casas “aumentou fortemente”. A causa, segundo ele, é a “preocupação com a segurança e o medo de serem apanhados em meio aos combates”.

Leia também:  Pesquisadores alertam havaianos para risco de erupção em grande escala de vulcão

Segundo as autoridades ucranianas, pelo menos 17 civis morreram nas últimas 24 horas por causa dos combates entre militares e os rebeldes pró-russos no Leste do país. Entre as vítimas, 14 morreram em Donetsk e três, em Lugansk.

Com a queda, no dia 17 de julho, do voo da Malaysia Airlines, que transportava 298 pessoas, abatido por um míssil, o número de mortes nos últimos três meses de conflito passou de mil.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.