Mais experiente do que Antônio Carlos “Cara de Sapato”, Vitor Miranda entrou na final peso-pesado do TUF Brasil 3 como favorito na visão da maioria dos especialistas em MMA, mas foi dominado pelo adversário durante três rounds e ficou com o vice-campeonato. O atleta da Team Nogueira teve tempo para entender o motivo do revés, quase dois meses, e acredita que se descuidou com seu ponto forte, que é a trocação, o muay thai. Vitor, por outro lado, garante que não se surpreendeu com o que Cara de Sapato apresentou no octógono.

– Nosso time fez algumas reuniões para traçar estratégia de treino. Sabíamos como ele viria, e foi exatamente como imaginamos: abafando, buscando a grade, dando sequências rápidas de boxe para encurtar a distância e me derrubar. Do nosso lado, a gente decidiu fazer determinada estratégia para quebrar isso. Focamos muito na defesa de boxe e de chão. Aí confesso que negligenciei um pouco minha parte em pé. Achei que ela fluiria naturalmente no decorrer da luta, mas não aconteceu. Acho que pequei nisso. Entrei com uma cabeça muito de defesa, e não de ataque, que era o que eu precisava para vencer a luta. Aprendi bem isso. Daqui para frente é sempre impor meu jogo – disse ao Combate.com.

Leia também:  Circuito de Tênis começa nesta quarta em Cuiabá

Apesar de ter se decepcionado com sua performance, Vitor Miranda não pensa em ter nova chance contra Cara de Sapato. Ele prefere tratar o duelo como página virada em sua carreira:

– Não quero, não tem cabimento. Ele provou o valor dele. Agora a gente tem um monte de gringo para bater. Seria até bobeira da minha parte se eu pedisse uma coisa dessas.
Descida de peso

Também contratado pelo Ultimate, Vitor voltou a treinar normalmente e entrou em contato com seu empresário, Alex Davis, para pedir seu retorno para o UFC 179, que será no Brasil, em 25 de outubro, provavelmente no Rio de Janeiro. Antes dessa data ele vai ajudar Antônio Pezão no camp do amigo para o duelo contra Andrei Arlovski, em Brasília, dia 13 de setembro. A novidade é que “Vithai” deixou os pesados (até 120kg) e baixou duas categorias de uma vez só. O próximo duelo já será pelos médios (até 84kg).

Leia também:  Brasil e Costa Rica fazem amistosos em Campo Verde e Cuiabá

– Quando entrei na Team Nogueira em 2012, entrei para ser um (atleta da divisão até) 84kg. Acabou que nunca executei esse plano, porque sempre surgiam oportunidades boas de luta em peso acima. Mas agora é a hora de usar e me enquadrar nessa categoria nova – afirmou.

 

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.