Desta vez tudo funcionou de maneira muito rápida para Eddie Alvarez. Em questão de horas, o peso-leve foi liberado pelo Bellator, assinou contrato com o Ultimate, sua nova casa, e já teve a estreia marcada para 27 de setembro, no UFC 178, em Las Vegas (EUA), contra Donald Cerrone. Algo bem diferente do que aconteceu ano passado, quando enfrentou problemas para se desligar do evento. A mudança de ares era a injeção de ânimo que ele estava precisando.

– Estou nesse esporte há vários anos. Para mim é difícil ficar empolgado com alguma coisa. Eram os mesmos socos, os mesmos chutes, as mesmas quedas. Então, sempre é bom algo novo acontecer. Isso agora é algo novo. Posso colocar minhas mãos em caras que nunca estiveram na minha frente. Eles estiveram acima de mim em rankings, mas nunca me venceram, o que é frustrante. O cara está acima de mim, mas nunca nos desafiamos. Tenho a chance de fazer isso agora, de provar quem eu sou e do que sou capaz – disse, por telefone, ao Combate.com.

Leia também:  Luverdense fica no empate com o Paraná

De 2011 para cá, Alvarez fez apenas seis lutas e concentrou suas atenções mais em Michael Chandler, contra quem fez duas delas, ambas pelo cinturão até 70kg do Bellator. Na última, em novembro, ele recuperou o título que havia lhe sido tomado dois anos antes pelo mesmo Chandler. Eles deveriam ter feito um terceiro duelo em maio deste ano, mas Alvarez se machucou e deu lugar a Will Brooks, que acabou vencendo e conquistando o título interino da categoria. Para o novo atleta do UFC, os dois ex-companheiros de organização fariam sucesso se seguissem o mesmo caminho que ele próprio:

– Os dois são grandes competidores, e desejo a eles o melhor onde quer que estejam lutando. Mike Chandler é um grande lutador e vai se dar bem em qualquer lugar e contra quem quer que seja. Provavelmente também será assim com Will Brooks. Mas meus olhos agora estão voltados para os lutadores do UFC, e não mais para os pesos-leves do Bellator. Estou de olho no Donald Cerrone, no Anthony Pettis, no Ben Henderson, no Gilbert Melendez, caras que estão acima de mim nos rankings sem nunca terem me vencido. Estou focado neles a partir de agora.

Leia também:  Richard Gama vence três e cai nas semifinais para líder

O agora ex-campeão do Bellator será pai de uma menina em novembro e achou perfeita a data de estreia. A escolha do adversário, então, nem se fala.

– Eu adorei. Ele (Cerrone) adora lutar em pé, trocar porrada, terminar as lutas. Adoro enfrentar caras que se arriscam, que não vão correr ou se esconder – elogiou.

Alvarez também reafirmou seu desejo de chegar ao cinturão do UFC e contou que não está gostando muito de ser parabenizado pelas pessoas por conta de sua contratação. Ele acredita que ainda não é merecedor desses parabéns.
– Quando assino com um evento, seja o UFC ou qualquer outro, não quero apenas entrar. As pessoas me dão os parabéns, e eu entendo o porquê, mas não fiz nada ainda. A ideia nunca foi chegar ao UFC, e sim me tornar campeão. Nos meus olhos, não conquistei nada ainda. Tenho um trabalho a fazer e vou atrás dele.

Leia também:  Atletas sub 16 de Rondonópolis participam de competição em Cuiabá

UFC 178

27 de setembro de 2014, em Las Vegas (EUA)

CARD PRINCIPAL

Peso-mosca: Demetrious Johnson x Chris Cariaso
Peso-leve: Donald Cerrone x Eddie Alvarez
Peso-pena: Conor McGregor x Dustin Poirier
Peso-médio: Tim Kennedy x Yoel Romero
Peso-galo: Cat Zingano x Amanda Nunes

CARD PRELIMINAR

Peso-galo: Dominick Cruz x Takeya Mizugaki
Peso-leve: Jorge Masvidal x James Krause
Peso-meio-médio: Patrick Cote x Stephen Thompson
Peso-meio-médio: Brian Ebersole x John Howard
Peso-leve: Kevin Lee x Jon Tuck
Peso-galo: Manny Gamburyan x Cody Gibson

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.