Associações da Polícia Militar reconhecem a atuação de José Riva (PSD), deputado estadual e candidato ao governo de Mato Grosso, em prol da corporação ao longo da sua trajetória política.

Presidente da Associação dos Sargentos, Subtenentes, Oficiais Administrativos e Especialistas (Assoade), Luciano Esteves Correa da Costa utilizou como exemplo do empenho de Riva junto à tropa a reestruturação da carreira e aumento salarial das polícias Militar e Civil, no mês passado.

“O Riva tem o reconhecimento da polícia e dos bombeiros pela atuação ao longo dos anos, contribuiu com o projeto do Plano de Carreira, reestruturação salarial. Temos quase mil promoções anuais em virtude desse projeto de lei. Até 2015 serão de 45% no ganho salarial diante da intermediação de Riva nos últimos meses. Quase tudo que tivemos de benefícios foi graças ao Riva”, afirmou, na noite de terça-feira (19), durante reunião com policiais militares e suas famílias no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá.

Na avaliação de Luciano Esteves, se Riva for eleito governador, vai trabalhar pela categoria que tanto já ajudou. “O Riva sempre pensou no servidor militar, conhece a realidade da Polícia Militar, e isso ficou comprovado no seu plano de governo, que atende aos anseios da categoria. Como legislador, sempre trabalhou por nós, mas tinha suas limitações. Pelo trabalho prestado, como reconhecimento do trabalho que fez na Assembleia Legislativa, acredito que grande parte dos policiais o apoia ao governo. Ter Riva como governador seria uma oportunidade de nossas pretensões serem atendidas”.

Leia também:  Vereadores cobram a implantação de semáforos em pontos críticos

Em julho, quando a Assembleia Legislativa aprovou a reestruturação da carreira e o aumento salarial, o ganho da Polícia Militar foi de aproximadamente 30%, para os oficiais, e 45%, para os praças.

Naquele período, os ânimos estavam exaltados. Em função de o governo não abrir o diálogo, os militares fizeram manifestação em maio com cerca de mil praças e oficiais que estiveram na Assembleia Legislativa pedindo apoio dos parlamentares. Na oportunidade, não descartaram o aquartelamento e afastaram a possibilidade após a abertura do diálogo com o Poder Executivo, com intermediação de Riva.

“O Riva foi decisivo naquele momento. O governo do Estado não queria sentar à mesa para as negociações e os policiais não queriam deixar de lado as reivindicações. Riva intermediou, pediu que o governador fosse mais sensível e conseguiu avançar nas discussões. Com o apoio dele, conseguimos alcançar 70% do que estávamos pleiteando”, disse o presidente da Associação dos Oficiais de Mato Grosso, major Wanderson Nunes.

Leia também:  "Falar de política não está fácil", confessa dirigente do Solidariedade

De acordo com Wanderson Nunes, a atuação de Riva também reestruturou toda a categoria dos oficiais da PM. “As atitudes de Riva, enquanto parlamentar junto à categoria, são inquestionáveis. É um grande parceiro, conseguiu destravar nossa carreira, tínhamos oficiais que passavam o dobro do tempo para serem promovidos e isso não acontece mais. Conseguiu incluir o item bacharel em direito para inclusão dos oficiais na carreira”, comentou, ao explicar que a promoção acontecia por antiguidade e merecimento, e como era um número restrito de vagas, não ocorria. Se faltavam quatro anos para ser promovido, o policial acabava demorando nove anos. Agora, todos conseguem a promoção naturalmente, no período estabelecido.

Segundo o presidente da Associação de Cabos e Soldados, cabo Adão Martins da Silva, a categoria tem gratidão por Riva devido ao trabalho pela categoria. “Sempre a categoria de cabos e soldados ficava em segundo plano, e quando chegamos à Assembleia Legislativa, tínhamos esse atendimento do Riva, que deve servir de exemplo.

Candidato a deputado federal, o sargento Juarez Pereira Vidal lembrou que Riva sempre foi um dos únicos deputados que recebeu a corporação, atendeu e fez de tudo para ajudar a resolver, além de cumprir o que promete. Também enalteceu as propostas do candidato a governador, que pretende aumentar o efetivo na área de fronteira para impedir a entrada de drogas no Estado.

Leia também:  Manifestantes vão pra frente de empresa de Ministro, mas se negam dialogar

“Já havia conversado com o Riva sobre essa questão, sugerindo o fortalecimento na área de fronteira, lá passa tudo que não presta para ir e vir. Vamos melhorar a cidade fortalecendo o efetivo na fronteira. Os crimes que acontecem na cidade ultrapassam a nossa fronteira e desaguam na Bolívia. O Gefron hoje conta com 100 policiais, é um efetivo reduzido, precisamos de pelo menos 400 pessoas”.

Esposa do presidente da Assoade, Lucila Patricia disse que o trabalho de Riva junto à tropa ao longo dos anos contribuiu para a melhoria na qualidade de vida da família miliciana. “O aumento salarial representa melhorias em casa, o policial se sente mais valorizado. Os cursos de capacitação feitos pela categoria, com a ajuda de Riva, também o ajudaram como profissional e ser humano. O apoio do Riva como deputado foi importante para as condições de vida da família. Outro ponto positivo é abrir as portas para atendimento desde as 6 horas, além de que, nunca se tinha visto na história militar, os praças e oficiais discutindo juntos melhoria salarial. Ao longo dos anos, Riva recebeu as categorias juntas, permitindo o diálogo”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.