O sorriso voltou ao rosto de Ana Cláudia Lemos. Foram meses lutando para ficar em forma e seguidas lesões até que a velocista retornou às pistas no último fim de semana e em grande estilo: ouro nos 100m rasos do Ibero-Americano com a marca de 11s13. O bom recomeço animou a atleta, que acredita ser capaz de melhorar o próprio recorde sul-americano da prova (11s05) conquistado no GP de Belém do ano passado. Ela, aliás, volta à capital paraense neste fim de semana.

– Eu sabia que estava cumprindo as metas nos treinos, fazendo o que era preciso. Fiquei feliz pela marca, mas espero melhorar esse resultado ainda. É possível bater esse recorde sim, venho treinando bem, mas procuro deixar as metas para mim e não pensar mais em números, porque outras vezes eu já estive tão bem quanto hoje, sabia que era possível correr tal marca, mas, por conta talvez de ansiedade, acabava não conseguindo. Então hoje eu só pergunto: estou treinando bem? Se ele (o técnico Katsuhico Nakaya) fala que eu estou treinando bem é só esperar as coisas acontecerem – disse Ana Cláudia.

Leia também:  Pesso chega e começa a montar o União

A velocista, que foi a 11ª colocada dos 100m rasos no Mundial de Moscou do ano passado, planejava focar nos treinos neste ano, já que não há grandes competições como Mundial, Pan-Americano e Olimpíadas. Os treinamentos, porém, foram interrompidos por três vezes.

– Eu tive três lesões. Primeiro eu tive uma lesão no joelho, demorei três meses para recuperar, fiz uma boa base, mas tive uma lesão na face do pé. Tive mais um período de recuperação. Depois teve uma inflamação, mas foi resolvida rápida com a diminuição da carga de treino. A gente sempre fala que quer estar em todas as competições, mas sempre tento tirar proveito das situações. A gente fala que 2014 é um ano morto para o atletismo. Achei que eu consegui tirar forças de onde não sabia que tinha, ficar mais forte e manter o foco no treinamento porque o importante é 2015 e 2016 – disse a velocista.

Leia também:  Técnico do União lamenta: “Dava para ir mais longe”

Técnicos, fisioterapeutas e o noivo Basílio de Moraes Júnior, também velocista, deram forças para Ana Cláudia superar as seguidas lesões. A forma física está tão boa que ela disputará os 100m e os 200m rasos neste domingo, no GP de Belém. Recordista sul-americana nas duas distâncias, a velocista tem um carinho especial pelos 200m rasos, prova em que é campeã pan-americana.

– Vou continuar correndo os 100m e os 200m. A gente ainda não sabe para o Mundial de 2015 e para as Olimpíadas qual a prova que eu vou optar. Talvez uma só, talvez as duas. O revezamento 4x100m é certeza. Até lá tem muito chão para trabalhar. Talvez eu evolua mais nos 200m, ou mais nos 100m. De acordo como eu for reagindo no treino e nas competições, a gente vai vendo qual é a melhor prova para eu seguir.

Leia também:  MT | Inscrições para Circuito Estadual de Tênis encerram nesta segunda

Ana Cláudia também disputará o Mano a Mano, evento no Rio de Janeiro entre os dias 16 e 17 de agosto, que contará com a presença do jamaicano Usain Bolt. Ela encerra a temporada no Troféu Brasil, em outubro.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.