Três homens foram condenados pelo juiz Carlos Ferrari, da Comarca de Alto Araguaia pelo estupro coletivo cometido na cidade contra uma jovem de 19 anos, em 4 de março deste ano. Cada acusado foi condenado, em média, a 30 anos de prisão, além de pagamento de multa.

O juiz também condenou pelo crime outro homem, o líder do grupo, e sua namorada, por terem colaborado para que o crime ocorresse. Os nomes dos condenados, assim com os das vítimas, não foram revelados pela Justiça.

De acordo com informações da assessoria do Tribunal de Justiça, os réus assaltaram um casal de namorados e levaram os dois para um canavial, onde estupraram a jovem de 19 anos e mantiveram seu namorado sob tortura, dentro um carro.

O rapaz relatou que quase perdeu a consciência, devido à privação de ar. Segundo informações depois de abusar da jovem, com a prática de sexo oral e anal, o bando abandonou o casal no canavial.

Leia também:  Crime organizado pune vítima cruelmente por se negar a fazer parte da facção

“A moça de 19 anos foi abusada, usada, violada, infringida, violentada, invadida, profanada, ofendida, subjugada, humilhada, subjugada, reduzida a situação subumana, transformada numa verdadeira retrete [latrina] das covardes figuras descritas na denúncia”, disse o magistrado, na sentença.

Conforme o juiz, o grupo é uma organização criminosa para prática de crimes patrimoniais e sexuais. O magistrado afirmou, ainda, que a ação da quadrilha só foi descoberta após um trabalho investigativo da Polícia, que, por meio de interceptação de conversas telefônicas, descobriu como eles agiam e quando seria o próximo ataque.

“Os relatos e documentos que compõem o documento mais se parecem com triste roteiro de um dramático filme de terror de péssimo gosto”, afirmou.

Leia também:  Corpo de homem em decomposição é encontrado embaixo de ponte em Rondonópolis

ACUSADOS

Consta nos autos que o grupo era comandando por um homem, que aliciou seus próprios filhos, sendo um menor de idade, para participar do bando.

Ele mantinha uma família em Santa Helena, interior de Goiás, mas se fixou em Alto Araguaia (415 km ao Sul da Capital), na casa de uma namorada, onde montou uma oficina mecânica de fachada, a fim de disfarçar a prática de roubo de veículos.

Segundo o depoimento do réu, após roubar o carro e maltratar as vítimas, eles mandavam o veículo para a cidade de Santa Helena para desmanche.

PUNIÇÃO

No âmbito criminal, o magistrado determinou que o grupo pague R$ 100 mil à mulher e R$ 50 mil ao namorado dela, a título de danos morais, além de mais R$ 10 mil ao rapaz por danos materiais.

Leia também:  Boliviano usado como "mula" é detido com mais de 13 kg de pasta base

Com a reforma do código processual, o magistrado pode na sentença criminal determinar também os danos morais no âmbito cível. Dessa forma, Ferrari já decretou que os três estupradores devem pagar R$ 60 mil ao namorado e outros R$ 100 mil à mulher por danos morais.

Veja abaixo a lista de penalidades:

Réu 1 (chefe do bando) – 36,4 anos de prisão e 200 dias de multa;

Réu 2 – 29,3 anos de prisão e 100 dias de multa;

Réu 3 – 26,6 anos de prisão e 100 dias de multa;

Réu 4 – 10 anos de prisão;

Réu 5 – namorada do chefe da quadrilha – 6 anos de reclusão.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.