A juíza eleitoral Ana Cristina Mendes negou o pedido da coligação Viva Mato Grosso em barrar a propaganda eleitoral do candidato Rogério Salles (PSDB) por permitir que Pedro Taques (PDT) aparecesse no horário eleitoral destinado a senadores para se autopromover. Também foi negado pela magistrada que fosse perdido o tempo equivalente.

Na decisão a juíza não reconheceu a irregularidade. No caso em apreço, o primeiro requisito não se apresenta suficientemente. “Verifica-se do vídeo veiculado no horário destinado a promoção da candidatura do senador Rogério Salles, onde há a participação do candidato a governador Pedro Taques, que este último, de forma clara e objetiva, declara apoio e pede voto ao candidato a senador não fazendo referência à sua candidatura, em que pese mencione suposta pesquisa de opinião pública.  Assim, descabido falar-se em utilização irregular do horário eleitoral, posto que não há referência exclusiva a candidatura do governador, mas sim, à coligação em geral em apoio ao candidato a senador”.

Leia também:  Todo mundo Já sabia

A assessoria jurídica de Riva sustentou que Taques aproveitou o espaço do senador para se promover quando iniciou a sua fala dizendo que em todas as pesquisas de opinião pública mostraram o apoio da população de Mato Grosso ao nosso projeto de mudança, proposto pelo grupo político dele.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.