Quem esperava por um quadro mais definitivo na pesquisa Ibope e divulgada ontem (08) pela TV Centro América, afiliada da Rede Globo em Mato Grosso, acabou podendo confirmar o que se vê e ouve nas ruas de todas as cidades de Mato Grosso o eleitor ainda está indeciso em quem votar para Governador do Estado.

A pesquisa espontânea revela que o eleitor de Mato Grosso ainda está extremamente distante do processo eleitoral. De acordo com os números 63% dos entrevistados estão indecisos, mas, o líder nesta modalidade é o senador Pedro Taques (PDT) com 16% das intenções de voto. Já o ex-vereador Lúdio Cabral (PT) e o deputado estadual José Riva (PSD) aparecem tecnicamente empatados com 5% e 3% respectivamente.

Leia também:  Pesquisa aponta Governo Abdo com mais de 80% de aprovação

Os candidatos, José Marcondes “Muvuca” (PHS) e José Roberto Freitas (PSOL) – chegaram a 1%. Os brancos e nulos totalizaram 12%.

ESTIMULADA

Já na modalidade estimulada, onde os entrevistados recebem uma lista com o nome dos candidatos, Taques também aparece em primeiro com 36% das intenções de voto. O empate técnico entre Lúdio e Riva, assim como na espontânea persiste, com 14% e 13% respectivamente.

Na quarta posição, está o candidato do PSOL, José Roberto Freitas, com 5%, o jornalista José Marcondes “Muvuca” aparece em quinto com apenas 1% das intenções de voto.

Os votos em branco e nulos somaram 14%. Já os indecisos totalizaram, de acordo com o Ibope, 17% dos entrevistados no Estado.

Leia também:  Distritão mudaria o quadro de eleitos da Câmara de Rondonópolis

REJEIÇÃO

O instituto também aferiu o índice de rejeição dos candidatos. Riva lidera o quesito com 37%. Em seguida, aparecem Muvuca com 15%, Pedro Taques com 10%, Lúdio Cabral com 9% e José Roberto com 6%.

Segundo 16% dos entrevistados, qualquer um dos candidatos poderia ser rejeitado. Já 27% não souberam responder este questionamento.

A pesquisa foi registrada com o número 00042/2014 no Tribunal Regional Eleitoral, ela entrevistou 812 pessoas entre os dias 03 e 07. A margem de erro é de 3% para mais ou menos com intervalo de confiança de 95%.

Os questionários aplicados foram com base em dados estatísticos de órgãos oficiais respeitando a proporcionalidade e com rechecagem de 20%.

Leia também:  Por questões éticas advogado se recusa a continuar em defesa de Michel Temer
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.