eduardo campos
Eduardo Henrique Accioly Campos era economista e político brasileiro – Foto: Reprodução/Internet

O candidato à Presidência da República, Eduardo Campos (PSB), 49 anos,  é uma das vítimas fatais de um acidente aéreo que ocorreu na manhã desta quarta-feira (13) em Santos, no litoral de São Paulo. Abordo da aeronave estavam sete pessoas, o candidato, o fotógrafo Alexandre Severo Silva, os assessores Carlos Augusto Leal Filho (Percol) e Pedro Valadares Neto, os pilotos, Geraldo Cunha e Marcos Martins e o cinegrafista Marcelo Lira.  O avião caiu quando tentava pousar e arremeteu devido ao mau tempo.

Eduardo Campos seguia para um compromisso marcado às 10h em Santos, em um jato Cessna 560XL, prefixo PR-AFA. De acordo com informações, a candidata a vice-presidente Marina Silva não estava na aeronave.

O avião teria partido do aeroporto de Santos Dumont no Rio de Janeiro (RJ) e caído por volta das 10h, no momento da queda chovia e o tempo estava nublado.

Leia também:  Neuma ganha força e ajuda Pátio a tomar decisões

O avião caiu em uma área residencial, ao todo três imóveis foram atingidos. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o acidente aconteceu nas ruas Vahia de Abreu e Alexandre  Herculano, no bairro Boqueirão. Até o momento, as informações são de que dez pessoas estejam feridas.

Viaturas do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) estão no local.

13h30

A presidente Dilma Rousseff (PT) suspendeu todos os trabalhos de campanha por três dias. O indicativo é que os comitês municipais acompanhem a decisão.

13h45

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) soltou uma nota lamentando a morte do presidente do partido.

EDUARDO CAMPOS 

Eduardo Henrique Accioly Campos era economista e político brasileiro, ex-governador de Pernambuco, presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSB) e candidato à Presidência da República.

Leia também:  Maggi continua no Governo e descarta entrar na disputa em 2018

Campos era graduado em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Aprovado no vestibular desta instituição com 16 anos, concluiu a faculdade aos 20, como aluno laureado e orador da turma.

Neto do também político Miguel Arraes, que em 1979 retornou ao Brasil após 15 anos no exílio, Eduardo desde cedo conviveu com nomes emblemáticos da política local e nacional.

Ingressou no PSB em 1990, acompanhando o avô, com quem trabalhava. Elegeu-se deputado estadual neste mesmo ano.

Em 1994, foi eleito deputado federal pela primeira vez (reelegeu-se em 1998 e 2002). Entre 1995 e 1998, esteve licenciado do mandato para trabalhar como secretário estadual de Governo e depois da Fazenda no governo de Miguel Arraes.

Leia também:  Vereador visita obras do Centro de Artes e Esportes Unificados

Uma das principais lideranças da base do governo Lula no Congresso, Campos foi chamado para comandar o Ministério de Ciência e Tecnologia e ficou no cargo entre 2004 e 2006. Em 2005, foi eleito presidente nacional do PSB.

Campos elegeu-se governador de Pernambuco em 2006. Conquistou a reeleição quatro anos depois. Em 2013, tendo em vista as eleições deste ano, o pernambucano, que era um dos principais aliados do PT em nível nacional, anunciou a aliança com o movimento Rede Sustentabilidade, de Marina Silva, para lançar chapa independente e concorrer ao Planalto.

Pesquisa Ibope, encomendada pela TV Globo e divulgada na última quinta-feira (7), apontava Campos em terceiro lugar na disputa, com 9% das intenções de voto.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.