Diante do desempenho ruim na temporada de 2014, a Ferrari mostra que já está mesmo pensando no próximo ano e segue com sua reformulação no corpo técnico. A equipe anunciou  a demissão do chefe de seu departamento de motores, Luca Marmorini.

A mudança já vinha sendo especulada há algumas semanas na imprensa internacional. Mattia Binotto assume a posição.

Marmorini, que trabalhou na Ferrari entre 1990 e 99 e depois voltou em 2009, foi o responsável pelo desenvolvimento do novo propulsor V6 turbo da equipe italiana, introduzido pelo novo regulamento da Fórmula 1 nesta temporada. Só que o motor tem se mostrado bastante inferior ao da Mercedes e até mesmo que o da Renault e seu desenho também vem sendo apontado como um dos fatores para os problemas de aerodinâmica e balanço do chassi.

Leia também:  Brasil começa a Copa enfrentando Suíça, Costa Rica e Sérvia

E parece que as mudanças não devem parar por aí, pois o chefe do time, Marco Mattiacci, que assumiu em abril no lugar de Stefano Domenicali, não esconde a intenção de mexer bastante em sua estrutura, o que já vem acontecendo nas últimas semanas.

No comunicado em que divulgou o desligamento de Marmorino, a equipe explica que “James Allison, diretor técnico, continua responsável por todo projeto do carro, com a ajuda de Nikolas Tombazis, chefe de projeto do chassi, e Lorenzo Sassi, projetista de motores”, ignorando o diretor de engenharia, Pat Fry, que liderou o desenvolvimento do atual carro.

Diversos veículos da imprensa internacional já especulam que o inglês deve ser o próximo a deixar o time de Maranello, abrindo espaço para Allison, que chegou à Ferrari em 2013 depois de um bom trabalho na Lotus, entre 2009 (quando a equipe ainda se chamava Renault) e 2012.

Leia também:  Corinthians vence o Fluminense de virada e se torna campeão brasileiro pela sétima vez
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.