O treinador Júnior Rocha não gostou da ideia de jogar na Arena Pantanal, contra o Náutico, no dia 16 de agosto, pela 16ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Para ele, o Verdão do Norte perde com isso por atuar em campo neutro, diferentemente do que quando joga no Estádio Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde, ao lado de seu torcedor e em um campo que o time conhece bem. Os treinamentos semanais acontecem no estádio.

Apesar disso, ele reconheceu que por questões de logística o melhor será atuar no estádio da Copa do Mundo.

– Queremos jogar sempre em casa, um local que conhecemos bem, que é a nossa casa. Mas apenas três dias depois de enfrentarmos o Náutico, vamos jogar contra o América-MG, em Belo Horizonte. Para diminuir o desgaste do grupo, o melhor é já estar em Cuiabá – disse Rocha à Rádio Atitude.

Leia também:  União começa neste domingo sonho de voltar à Copa do Brasil

Caso o jogo fosse em Lucas do Rio Verde, o grupo teria que viajar de ônibus até Cuiabá logo após a partida, para a viagem de avião até Minas Gerais, o que poderia deixar os atletas cansados. A distância entre as cidades é de 350 km. Para Rocha, jogar na Arena Pantanal faz com que o Náutico venha com uma proposta mais ofensiva.

– A Arena Pantanal é ótima, sabemos disso, mas será um campo neutro. O Náutico já virá com uma proposta mais ofensiva, mas estaremos preparados.

A partida contra o Náutico será a segunda do Luverdense na Arena Pantanal. Em abril, o Verdão venceu o Vasco, por 2 a 1, pela 2ª rodada. O outro jogo previsto para a capital será no dia 13 de setembro, contra Ponte Preta.
Luverdense e Náutico jogam no dia 16 de agosto, às 15h20 (de MT), pela 16ª rodada.

Leia também:  União vence e assume liderança da Copa FMF

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.