O ministro da Agricultura, Neri Geller (PMDB), indicado que teve o aval do senador Blairo Maggi (PR) ao assumir o comando da pasta se reuniu na noite de quinta-feira (31) com o vice de Pedro Taques (PDT), Carlos Fávaro (PP), e o empresário e primo do senador, Eraí Maggi (PP). A reunião teria acontecido no Edifício Riviera Santa Rosa, em Cuiabá, onde mora o candidato pedetista ao governo, após a abertura da 50ª Expoagro.

Geller não negou a conversa com o grupo de Taques e sua visita ao prédio teria sido confirmada pelo médico Aray Fonseca, candidato a vice-governador na coligação de José Riva (PSD), que também mora no mesmo edifício. “Conversei com o Carlos Fávaro e com o Eraí Maggi para articular apoio a presidente Dilma Rouseff. O PP está alinhado conosco na eleição presidencial e temos que reverter isso em apoio político também aqui em Mato Grosso”, explicou o ministro.

Leia também:  Vereador Thiago Silva acompanha recuperação de ruas e avenidas

Apesar da explicação do ministro, o presidente regional do PMDB, deputado federal Carlos Bezerra, se mostrou surpreso com a informação da reunião e prometeu ter uma “conversa” com o peemedebista. “Ele pode ter se reunido para tratar de outros assuntos, mas não existe qualquer hipótese do ministro apoiar o Pedro Taques. Ele tem amizade com Carlos Fávaro, mas está comprometido até a medula com a campanha da Dilma e do nosso candidato ao governo, Lúdio Cabral”, minimizou o parlamentar.

Geller já estaria na marca do pênalti no PMDB, já que em outras ocasiões gerou outros desconfortos dentro do PMDB por causa da sua proximidade com Taques. O próprio Bezerra criticou a postura do ministro, que foi acusado de participar ativamente da indicação de Fávaro ao cargo de vice de Taques quando os peemedebista tentavam emplacar o ex-juiz Julier Sebastião como candidato ao governo do estado.

Leia também:  Relator inicia leitura de parecer sobre denúncia contra Temer após confusão

Caso apoie Taques ao governo, o ministro estaria traindo a campanha à reeleição de Dilma Roussef (PT), já que o senador pedetista tem como candidato preferencial à presidência da república o senador tucano, Aécio Neves.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.